Ir para conteúdo 1 Ir para menu 2 Ir para busca 3 Ir para rodapé 4
Acessibilidade 5 Alto contraste 6

Vereadores de Biguaçu cobram plano de ação para despoluição do Rio Caveiras

Publicado em 27/11/2019 às 14:27 - Atualizado em 27/11/2019 às 14:47

Nessa terça-feira, dia 26 de novembro, vereadores da Câmara Municipal de Biguaçu se reuniram com representantes do Executivo Municipal a fim de cobrar plano de ação para despoluição do Rio Caveiras e córregos adjacentes. O encontro visou atender requerimentos dos vereadores João Luiz Luz e Manoel Airton Pereira, que pediram por desassoreamento e limpeza do rio, tratamento e destinação adequada de esgoto e ainda fiscalização do descarte de dejetos oriundos das residências no entorno.

 

O popular Bilico destacou a necessidade de atenção urgente para com o atendimento dos pedidos dos parlamentares, destacando episódios de chuvas ocorridas em janeiro, que causaram cheias. Representando o vereador João Luiz Luz, a assessora Luiza Siqueira Bastian, cobrou ações de fiscalização quanto à destinação de esgotos residenciais. O vice-presidente da Casa, vereador Fernando Duarte, que presidiu a reunião, destacou o mau odor e pediu atenção da prefeitura para com o destino final do escoamento de água.

 

O superintendente da Defesa Civil do Município, Laudemir Pastorello, informou que as valas já estão quase todas limpas e já existe estudo para desassorear o Rio Caveiras. “São cerca de 14 mil toneladas de massa a serem retiradas do rio, apenas fazendo uso de máquina. São 20 metros de largura e 80 cm de profundidade. Estamos dependendo de posicionamento do Instituto do Meio Ambiente (IMA)”, esclareceu Pastorello. O secretário municipal de Obras e Infraestrutura, José Silveira, alertou de que o ideal é limpar todo ano, uma vez que a maré sempre vai trazer sedimento. “A licitação da máquina para fazer o trabalho já está autorizada”, concluiu Silveira.

 

Tratativas

 

O secretário municipal de Planejamento e Gestão Participativa, Rafael Prazeres, explicou que “existe um anteprojeto de fazer gabiões (tipo de muro utilizado para estabilizar encostas e taludes) nas laterais e fundo de concreto. Ainda revitalização, calçadas e plantio de árvores no entorno. O orçamento prévio é de cerca de R$ 6 milhões”. “Já averiguamos junto à Vigilância Sanitária para fazermos um trabalho em conjunto de fiscalização em ruas em que as obras estão em execução, averiguando se as residências da região têm sistema de saneamento aprovado junto à Seplan. A contribuição vem de três ou até quatro bairros”, ponderou o secretário.

 

O vice-prefeito, Vilson Norberto Alves, explicou que o objetivo com o projeto é aproveitar saldo restante da macrodrenageme destacou a importância da conscientização conjunta da comunidade. O representante do Executivo Municipal também propôs pedido de prorrogação das medidas emergências autorizadas até o meio do ano, sendo que previa manutenção e limpeza de rios e ainda se comprometeu em colocar a licitação da máquina em caráter emergencial. O vereador Elson João da Silva sugeriu analisar a possibilidade de utilizar a draga que já está no Município. Participaram ainda da reunião o assessor do vereador João Domingos Zimmermann, Alysson Ertal; e o secretário municipal de Desenvolvimento Urbano e Transportes, Claudemir Aires.


Galeria de Fotos

  • {{galeriaImagens.length + galeriaVideos.length - 12}}
  • {{galeriaMultimidia.length + galeriaImagens.length + galeriaVideos.length - 12}}
Fechar