Ir para conteúdo 1 Ir para menu 2 Ir para busca 3 Ir para rodapé 4
Acessibilidade 5 Alto contraste 6

Legislatura 1947 - 2016

Publicado em 15/08/2016 às 15:28 - Atualizado em 05/09/2016 às 15:57

Poder Legislativo Biguaçuense 1947-2015

 

O Poder Legislativo é o elo entre a população e seus gestores, promove através de leis e normas a organização social da comunidade, garantindo assim, a convivência harmônica da sociedade. Acima de tudo, tem o dever de fiscalizar os atos do Executivo em nome da coletividade.

 

Neste capítulo do livro “Resgate Histórico do Executivo e do Legislativo Biguaçuense” apresentaremos a biografia dos vereadores eleitos a partir de 1947, quando foi instalada a Câmara Municipal de Biguaçu. Todas as biografias foram previamente autorizadas pelos vereadores ou por seu representante legal.

 

O conjunto destas biografias demonstra a grandeza de nossas lideranças políticas que participaram ativamente da consolidação do processo democrático brasileiro.

 

 

 

Legislatura 1947-1950

 

Afonso Olegário Sherer

Cantídio Viríssimo Bernardino

David Crispim Corrêa

Francisco Roberto da Silva

Gervásio Leonardo Muller

Hugo Amorim 

Lebório Francisco Goedert

Orlando Graciosa

Taurino Honório de Souza

 

Características da Legislatura:

Eleição: 15/11/1947

Posse: 15/12/1947

Composição de vereadores nesta Legislatura: 09

Presidente: Hugo Amorim 1947-1950

Suplente: José Muller

 

 

Afonso Olegário Sherer

Legislatura 1947-1950

 

 

 

Nasceu em 07 de outubro de 1910, em Santa Maria, distrito de Alto Biguaçu, município de Biguaçu-SC, filho de Antônio Pedro Scherer e Philomena Kretzer Scherer. Casou-se com Anita Leal, em 31 de dezembro de 1935 na cidade de Bom Retiro. Filha de Justino Alberto Leal e Izaltina Augusta Leal, naturais de Biguaçu. Desta união nasceram Carlos Afonso, Mário César, Luiz Gonzaga e Vânia Maria. Anita Leal foi uma das primeiras professoras da Escola Isolada Estadual de Santa Maria, recém instalada numa casa de alvenaria de propriedade de Antônio Pedro Scherer, para atender e efetivar o plano de nacionalização de Educação pelo governador Adolfo Konder no ano de 1927. Afonso Olegário Scherer iniciou seus estudos em 1971 na Escola Paroquial de Santa Maria, de sistema bilíngue (alemão e português), mantida pela comunidade. Pois o Estado era ausente. Fez o curso colegial no Colégio Santo Antônio da cidade de Blumenau, no período de 1923 a 1927. Pela Resolução n° 818, de 8 de janeiro de 1931, foi nomeado Escrivão do distrito de Antonio Carlos para as respectivas Serventias Vitalícias o Sr. Afonso Olegário Scherer. Culto, sempre de bom humor, era dotado de grande espírito humanitário e atendia a todos com atenção e disposição. Elegeu-se vereador no município de Biguaçu no período de 1947 a 1950, para representar e pleitear junto aos órgãos Municipal e Estadual, a devida atenção às comunidades de Alto Biguaçu, face as carências de infraestruturas, em especial as péssimas condições das estradas. Através da Lei Legislativa n° 085/2007, ficou denominada Rua Afonso Olegário Scherer o logradouro no perímetro urbano de Antônio Carlos. Na área industrial desse Município. Homenagem esta para homenagea-lo pelos grandes serviços prestados ao Distrito e hoje Município de Antônio Carlos.


 

Cantídio Viríssimo Bernardino

Legislatura 1947-1950 / 1959-1962 / 1963-1966 

 

 

 

Nasceu em 1899, na comunidade da Caeira do Norte, que na época pertencia a São Miguel, filho de Viríssimo José Bernardino e de Tibúrcia Siqueira Viríssimo. Casou-se duas vezes. No seu primeiro casamento teve os filhos: Viríssimo Bernardino, Osni Viríssimo Bernardino e Tibúrcia Viríssimo de Souza. No segundo casamento, teve os filhos Édson Viríssimo Bernardino, Érico Viríssimo Bernardino, Maria Lúcia Bernardino Battistotti e Maria Conceição Bernardino Guimarães. Foi prefeito de Biguaçu, no período de 1951 a 1955. Foi também vereador por três legislaturas de 1947 a 1950, de 1958 a 1962 e de 1963 a 1966, pela UDN (União Democrática Nacional). Durante sua gestão como prefeito pode-se citar a construção da Estrada de Ganchos, atual Governador Celso Ramos. Naquela época esse Distrito pertencia a Biguaçu e o acesso a ele só era possível de barcos ou subindo aquele grande morro a pé. Essa obra foi feita por presidiários cedidos pelo Estado. Foi no seu governo que pela primeira vez um automóvel chegou até a vila de Ganchos, sendo esse feito muito comemorado na ocasião. Na sua gestão, aconteceu a vinda do telefone para Biguaçu e a implantação da Telefônica. Também, no Distrito de Alto Biguaçu, que atualmente é o município de Antônio Carlos, foi construída a estrada para a comunidade do Louro, nessa época esse distrito pertencia a Biguaçu. Foi no seu período como prefeito que teve que superar duas grandes enchentes em Biguaçu. Importante salientar que, o Estado ajudava muito pouco para esse tipo de calamidade, ficava a prefeitura com toda a responsabilidade de reconstrução. Em 1960 voltou a candidatar-se a prefeito pela UDN, mas não se elegeu. Faleceu no dia 18/05/1971, no Hospital dos Servidores, em Florianópolis.


 

David Crispim Corrêa

Legislatura 1947-1950 / 1951-1954 / 1954-1958 / 1959-1962 

 

 

 

Nasceu no dia 27/06/1903 e falecera no dia 14/01/1996. Durante sua trajetória, escreveu uma história de trabalho árduo entre seus iguais, cresceu por esforço próprio, acima dos que se colocavam à altura da média, e por isso representou seu povo no parlamento de sua terra. Nasceu em Ponta do Cadeado, localidade interiorana de Biguaçu, e casou-se com Maria José Leal, carinhosamente chamada de “Bia”. Escolheu Sorocaba de Dentro, região agrícola, para desenvolver suas atividades e formar sua família. Tiveram 08 filhos, destes, 03 homens e 05 mulheres, que ainda hoje, mesmo com quase vinte anos de seu falecimento, respeitosamente referem-se a ele como “papai”. Como profissão era comerciante. Era proprietário de uma “venda” e negociava seus produtos com a ajuda de uma carroça. Mais tarde adquiriu um caminhão, o qual proporcionou o fornecimento de madeira para a manutenção da Ponte Hercílio Luz. Foi também designado pelo Governador do Estado como Escrivão de Posses, expedindo recibos e escrituras de posse nas transações imobiliárias. Em sua vida pública, foi vereador em quatro legislaturas no tempo em que não existia qualquer remuneração pelo exercício do mandato. Cujas sofridas e custosas idas às sessões da Câmara Municipal, na sua sede em Biguaçu, oneravam por demais os seus haveres. David Crispim Corrêa foi um exemplo de fidelidade partidária, um grande líder político, conseguiu ajudar muita gente e contribuiu para o crescimento de sua comunidade.


 

Francisco Roberto da Silva

Legislatura 1947-1950 / 1951-1954 

 

 

 

Conhecido como Chico Roberto, nasceu no dia 07/06/1885 em Forquilha, São José, filho de José Francisco e Clarinda Pereira Rosa. Casou-se com Maria Salum Silva. Dessa união adveio o nascimento de 04 filhos: Herondina, José Roberto, Maria Helena e Abrão Francisco Roberto da Silva. Ele faleceu em 24/05/1960. Chico Roberto, como era conhecido, foi um grande comerciante em sua época. Homem generoso, contribuiu com o desenvolvimento do Município e na ajuda das pessoas mais necessitadas. Foi vereador em Biguaçu na 1ª e 2ª Legislatura (1947-1950 e 1951-1954).

 


 

Hugo Amorim 

Legislatura 1947-1950

 

 

 

Nasceu no dia 25/08/1913, na pequena cidade de Tijucas/SC, era filho de Domingos Corrêa Amorim (cartorário) e Maria José de Amorim (dona de casa). Ainda muito jovem mudou-se para a Cidade de Biguaçu/SC, casou-se com a Norma Amorim e teve 03 filhas, Nísia, Léa e Silvia. Era apaixonado por política e exerceu vários cargos: Vereador entre 1947 – 1951 – 1952 – 1955, foi Presidente da Câmara de Vereadores, foi Prefeito (interino), trabalhou como Adjunto de Promotor, Escrivão de Paz, Escrivão de Polícia. Aposentou-se em 1963, como escrivão do Registro Civil. Hugo Amorim, faleceu em 30 de julho de 2001. Sua vida sempre foi pautada com muita honradez, competência e ética, nunca deixou de lutar por seus objetivos, mesmo diante das grandes adversidades. Por suas qualidades sempre foi muito admirado e respeitado por todos! Um exemplo de pai, de homem e um notável cidadão.

 


 

Lebório Francisco Goedert

Legislatura 1947-1950

 

 

 

Nasceu em 16/07/1895, em São Pedro de Alcântara/SC. Filho de Francisco Goedert *12/10/1856 +26/03/1944 e Júlia Michels *06/03/1865 +16/11/1941. Era casado com Philomena Heiderscheidt Bunn nascida em 29 de abril de 1900, em Mato Grosso, Angelina/SC, filha de Jacob Bunn e Maria Heiderscheidt, contraíram núpcias na Igreja Matriz de São Pedro de Alcântara, em 21/01/1921, com o celebrante Pe. Jacob Luís Nebel, tiveram 16 filhos e um adotivo. Ele estudou as primeiras séries em São Pedro de Alcântara. Foi inspetor escolar, agricultor, empresário, comerciário, catequista, líder comunitário e político. Chefiou o Movimento Integralista (Camisa-Verde) do Distrito de Antônio Carlos em 1935/1938. Vereador em 1947/1951, eleito pelo PSD, pelo Distrito de Antônio Carlos, à Câmara Municipal de Biguaçu. Também foi proprietário da antiga casa paroquial do Sagrado Coração de Jesus, onde funcionavam o seu armazém de secos e molhados, a Agência de Correios e a escola particular da saudosa professora Verônica Guesser Pauli. Proprietário da linha de ônibus Auto Aviação Alto Biguaçu, em 1949, adquirida de Fábio Salum. Exerceu a função de Conselheiro Administrativo dos Bens da Capela do Sagrado Coração de Jesus nos períodos de 1949/57. Emprestou o seu nome a 02 ruas, sendo uma em Antônio Carlos e outra em Biguaçu. Faleceu em 14 de julho de 1975. Residia nas terras adquiridas do fazendeiro e escravista Cândido Machado Severino, localizadas à margem esquerda do Rio Biguaçu, no Município de Antônio Carlos. Ele descansa na paz do Senhor no Cemitério Municipal Pe. Alfredo Junkes, em Antônio Carlos.

 


 

Taurino Honório de Souza

Legislatura 1947-1950

 

 

 

Natural de Tubarão/SC, casou-se com Iracema Campos de Souza, ela natural de Biguaçu, filha do Professor Donato Alípio Campos, conhecida como "Dona Francesa". Teve dois filhos: Carlos Antonio e Lindóia Maria. Foi eleito vereador entre os anos de 1952/1955. Taurino formou-se em Farmácia na primeira turma da antiga Politécnica de Santa Catarina, antecessora da atual UFSC. Em 1928, Taurino abriu a primeira Farmácia de Biguaçu que por muitos anos prestou os primeiros socorros aos munícipes, pois era a única referência em saúde disponível em nossa cidade e região. Sua farmácia ficava situada onde hoje é a farmácia Biguaçu, na Rua João Pessoa, sendo que, na sua época denominava-se Farmácia Souza. Taurino e Francesa fizeram história em Biguaçu por sua dedicação e pioneirismo na área da saúde.   

 


 

Legislatura 1951-1954

 

Alvino Franciso Baldança

Avelino Muller

David Crispim Corrêa (Biografia consta na legislatura 1947-1950)

Emílio Miguel da Cunha

Esmeraldino Prazeres

Francisco Roberto da Silva (Biografia consta na legislatura 1947-1950)

Gervásio Leonardo Muller (Biografia consta na legislatura 1947-1950)

Jamil Jorge Nicolau

João Carolino Zimmermann

José Lourenço Rios

 

Características da Legislatura:

Eleição: 15/11/1950   

Posse: 31/01/1951

Composição de vereadores nesta Legislatura: 09

Presidente: Gervásio Leonardo Muller 1951-1954

Suplentes: Pedro Jerônimo Guesser

Vidal Mendes


 

Alvino Franciso Baldança

Legislatura 1951-1954

 

 

 

Nasceu em Ganchos do Meio em 18/01/1908.  Filho de Francisco Luiz Baldança Junior e Maria Eleuteria Baldança, era o segundo filho de um total de 10 filhos. Casou-se no dia 12/10/1929, aos 21 anos, com D. Joana Belmira Baldança, com quem teve quatro filhos. Como prova de sua liderança, do respeito e do reconhecimento que gozava na comunidade, foi eleito vereador, no pleito de 03/10/1950, para Câmara Municipal de Biguaçu, pelo PSD. Ocupou a função de Secretário Executivo da Comissão Municipal do Mobral de Governador Celso Ramos, tendo sido agraciado com o Diploma de Honra ao Mérito expedido pelo Presidente do Mobral, em dezembro de 1971. Destaca-se sua participação no movimento que resultou na abertura da ligação entre Biguaçú / Ganchos. Foi o principal responsável pela administração burocrática tendo inclusive a seu cuidado a alimentação quando não havia suprimento de Florianópolis. Desempenhou também as funções de oficial do Registro Civil e Tabelionato Distrital. Os cargos, à época, exigiam que o responsável percorresse a região, para efetivar os assentamentos e registros de casamentos. Exerceu as funções compatíveis a de contador (de pequenas empresas) até então reconhecida como guarda-livros, em Ganchos. Esteve sempre à frente das ações do interesse da comunidade. Combateu com veemência a prática de captação de pescado, na forma de “arrastão”, dentro das áreas de reservas e preservação do município. Tal movimento resultou na drástica redução da prática de arrastão na baia de Ganchos. Recusou proposta das lideranças políticas atuantes à época, de candidatar-se, em chapa única, ao cargo de Prefeito Municipal de Governador Celso Ramos. Conhecido popularmente com Italiano, faleceu em oito (08) de julho de 1995, aos 87 anos de idade.


 

Avelino Muller

Legislatura 1951-1954

 

 

 

Nasceu no dia 09/08/1912, em Antônio Carlos quando esta ainda pertencia a Biguaçu, filho de Alberto Muller e de Maria Ernestina Goedert Muller. Casou-se com Cecília Zimermann Muller, com quem teve 12 filhos. Começou sua carreira política no início da década de 50 onde se elegeu Vereador pelo PSD – Partido Social Democrático. Mais tarde transferiu sua residência para Biguaçu, mais precisamente para a Rua Major Livramento, próximo ao centro, onde adquiriu grande quantidade de terras (que hoje é o bairro Vendaval). Elegeu-se Prefeito Municipal de Biguaçu nas eleições de 03 de Outubro de 1960, também pelo PSD – Partido Social Democrático. Sua posse foi no dia 31/01/1961 e seu mandato estendeu-se até 31/01/1966. Fez um governo com muitas dificuldades, pois os recursos eram escassos, as máquinas e caminhões eram poucos e a mão de obra era insignificante para o tamanho territorial do município, pois Antônio Carlos e Governador Celso Ramos ainda pertenciam a Biguaçu até o ano de 1963. O principal marco de seu governo foi sem dúvida nenhuma a emancipação do município no ano de 1963, dividindo-o em três, onde foram criados os municípios de Antônio Carlos e Ganchos, que mais tarde passou a se chamar de Governador Celso Ramos. Neste processo todo, tanto o Prefeito Avelino Muller, como os Vereadores da época e também o Deputado Estadual Dr. Lauro Locks, agiram como fiéis parceiros políticos e um exemplo verdadeiro de políticos desprendidos, tão raro nos dias de hoje, de cidadãos, e de homens corretos. O ex-Prefeito Avelino Muller faleceu no dia 04/12/1983, deixando um grandioso legado para o crescimento, desenvolvimento, bem como para a história política de nosso querido município chamado Biguaçu.

 


 

Emílio Miguel da Cunha

Legislatura 1951-1954

 

 

 

Natural de Santo Amaro da Imperatriz, nasceu em 19 de julho de 1911, era casado com Lídia Freitas da Cunha, nascida em 27 de agosto de 1915 e falecida no dia 3 de março de 1975. Também natural de Santo Amaro da Imperatriz. Após contraírem matrimônio, foram residir no distrito de Angelina, município de São José. Na década de 1940 vieram residir na comunidade de SANTA Maria em Alto Biguaçu e posteriormente fixaram residência em Coração de Jesus, hoje sede do município de Antônio Carlos. Desse enlace tiveram 10 filhos: Orlando, Osvaldo, Valdemiro, Yolanda da Cunha Santos, Odete da Cunha Wiese, Nilsa da Cunha Martendal, Maureci, Padre Hélio, Luci da Cunha Schappo e José Nilton. Sua atividade profissional era alfaiate e atendia as comunidades de Louro, Santa Maria. Rachadel e a sede do Distrito de Antônio Carlos. Sua popularidade de homem simples e participativo lhe conferiu a eleição de Vereador do município de Biguaçu no período de 1951 a 1954 representando as comunidades de Alto Biguaçu. Seu espírito político e participativo mesmo com idade avançada ainda encontra disposição e desprendimento para fundar, em 1979 na cidade de Antônio Carlos, o (PP) Partido Popular, com 65 eleitores filiados. Com o intuito de fortalecer a democracia e derrotar a ditadura militar e os partidos que lhe davam sustentação, em Antônio Carlos como nos demais municípios brasileiros, houve a fusão do PP (Partido Popular) ao PMDB, liderados por Ulysses Guimarães e Tancredo Neves. A partir desse ato o Sr. Emílio Miguel Cunha, tornou-se membro efetivo do Diretório Municipal do PMDB de Antônio Carlos. O Sr. Emílio veio a falecer em 3 de setembro de 1984 e está sepultado no Cemitério Municipal de Antônio Carlos.


 

Esmeraldino Prazeres

Legislatura 1951-1954 / 1970-1973

 

 

 

Nasceu no dia 24/09/1911, em Biguaçu, filho de Hermógenes J. dos Prazeres e de Francisca A. dos Prazeres, casado com Georgina Faria Prazeres, o casal teve 12 filhos: Odir, Orival, Avani, Ozildo, Alicéa, Adaci, Odemir, Arlete, Auda, Ângela, Adir e Aldanei. Faleceu no dia 13/12/2010. Atuação profissional: Frequentou o ensino primário em Biguaçu. Foi cobrador de ônibus. Durante a Revolução de 1930, exerceu a função de vigia da ponte sobre o Rio Tijucas. Foi balconista no Armazém do Alfredo A. da Silva, interventor no Município de Biguaçu. Foi empreendedor comercial em Biguaçu e garimpeiro em Ribeirão do Ouro/Brusque. Trabalhou como agente de seguros até abrir seu último negócio no Mercado Público Municipal. Em 1950, aceitou disputar um mandato na Câmara de Vereadores. Atuação política: Esmeraldino Prazeres foi militante do Partido Social Democrático, mas sua amizade com o Vigário Paroquial, Pe. Rodolfo Machado, o levou a ingressar no partido da União Democrática Nacional. Em 1950, foi eleito Vereador com 235 votos num total de 3.094 eleitores votantes.  Convidado pelo prefeito eleito pela UDN, Cantídio V. Bernardino, foi nomeado para o cargo de Tesoureiro Municipal, por sua retidão e coragem política. Em 1953, foi nomeado Escrivão do Crime, Júri, Execuções Criminais, Feitos da Fazenda e Eleitoral da Comarca. Retornando à política em 1969, elegeu-se vereador pela ARENA, exercendo suas funções no período de 31/01/1970 a 31/01/1973. Em 01/02/1970, foi eleito e empossado Presidente da Câmara Municipal. Nessa condição, assumiu, em 03/02/1972, o cargo de Prefeito Municipal, em substituição ao Prefeito Sr. Paulo Wildner, em viagem à Europa e ao seu Vice-Prefeito, Sr Olivério V. Corte, em viagem à Argentina, exercendo aquelas funções até o dia 06/03/1972, quando retornou à Câmara.


 

João Carolino Zimmermann

Legislatura 1951-1954

 

 

Nasceu no dia 06/04/1892, no bairro Santa Catarina, município de Biguaçu, filho de João Zimmermann e Ana Zimmermann. Casou-se com Gentilia de Aquino Zimmermann. Adotaram um filho: Antônio Pereira Zimmermann (Tonho). Foi vendedor ambulante, mais tarde teve seu próprio negócio: Armazém do “Seu João”, localizado à Rua João Pessoa, (atualmente edificações de números 88 e 112), junto à Praça Nereu Ramos, próximo à Igreja Matriz São João Evangelista; Seu comércio era muito forte e de referência, pois vendiam desde alimentos (charque, linguiça blumenau, bacahau,...), cristais Hering até fumo de corda, feixes de lenha,...; Muitas pessoas vindas de várias localidades mais distantes e de municípios vizinhos tinham um porto seguro na casa do “seu João e dona Zéza”, como eram conhecidos. Naquela época os deslocamentos eram muito precários, onde muitos ônibus só faziam a viagem uma vez por dia, assim, muitos almoçavam, jantavam e/ou pernoitavam na sua residência, sem que houvesse cobrança por isso - apenas como gentileza. Em sua atuação política no município, destaca-se a legislatura como vereador no município de Biguaçu - na legislatura de 1951 a 1954 (tempo em que não havia remuneração)-; Foi articulador e colaborador político no mesmo município; Pela sua seriedade, bondade e respeito, foi nomeado Juiz de Paz; Sempre apoiou e colaborou com festas típicas e campanhas para arrecadação de recursos (para a Igreja Matriz, Clube 17 de Maio, Biguaçu Atlético Clube,...). Faleceu em 05/04/1980 com 88 anos. Como reconhecimento de sua atuação e personalidade solidária no município, seu nome foi atribuído ao terminal rodoviário de Biguaçu: Terminal Rodoviário João Carolino Zimmermann.


 

Legislatura 1955-1958

 

Antônio João Pauli

Antônio José Zimermann

Cândido João de Aquino

David Crispim Corrêa (Biografia consta na legislatura 1947-1950)

Eusébio Hillesheim

João Francisco Setúbal

Jorge Faria da Luz

Militão José Coelho

Orlando Romão de Faria

Pedro Jerônimo Guesser

 

Características da Legislatura:

Eleição: 15/11/1954

Posse: 31/01/1955

Composição de vereadores nesta Legislatura: 09

Presidente: Orlando Romão de Faria 1955-1958

Suplentes: Pedro Jerônimo Guesser

 Manoel Antonio Lopes

 Gervasio Leonardo Muller

 

 

Antônio João Pauli

Legislatura 1955-1958

 

 

 

 

Nasceu no dia 14/01/1924, no bairro Vila Doze de Outubro, antigo Rachadel Central, em Antonio Carlos/SC. Filho de João Henrique Pauli e Maria Guesser. Casou-se em 20/09/1947 com Maria Thereza Baumgarten, com quem teve 07 filhos: Álvaro; Anselmo; Angélica; Maria de Fátima; Ivanilda; Ernani e Cassilda. Estudou as primeiras letras, na Escola de Rio Farias I, com a professora Antonieta. Foi agricultor até os 18 anos, marceneiro, comerciante e mecânico. Numa sociedade com seus dois irmãos, possuia uma torrefação de café e uma empresa de ônibus. Foi também proprietário do primeiro posto de combustíveis de Antônio Carlos, atividade que desenvolveu durante 20 anos. Além de cantor no coral da Igreja Matriz do Sagrado Coração de Jesus, foi membro do Conselho Administrativo Paroquial no período de 1960 a 1967e chefe do serviço de carpintaria na construção da Igreja Matriz. Trabalhou ainda como mestre de obras na construção da Usina Pirabeiraba. Foi Presidente da Sociedade Esportiva Estrela Azul, no período de 1972 a 1976, tendo na sua gestão construído a nova Sede Social no Centro da Cidade, inaugurada em 31 de maio de 1975. Incentivava a participação de brancos e negros nas mesmas atividades promovidas pela sociedade como bailes e domingueiras. Na vida política, foi eleito Vereador na Câmara Municipal de Biguaçu no ano de 1954 pelo partido UDN. Faleceu no dia 20 de abril de 1994.

 


 

Antônio José Zimmermann

Legislatura 1955-1958

 

 

 

Também conhecido por NICO PORTUGUÊS, nasceu no dia 18 de outubro de 1915, natural de Louro - Município de Antônio Carlos- SC. Filho de José Pedro Zimmermann e Cecícilia Muller. Casou-se com Clarinda Scherer sendo que desta união nasceram: Nelson Antônio; Nilva; Norma; Neuza; Neide; Nezir; Nazareno; Norivaldo; Nivaldo; Nazira e Nádya. Fez seus primeiros estudos na Escola Isolada de Louro. Exerceu a atividade de agricultor e fabricava cachaça, na localidade de Rio Farias. Mais tarde adquiriu o comércio de seu pai, atividade que exerceu durante o restante de sua vida. Adquiriu um caminhão para transportar para outros centros comerciais como Florianópolis, Lages e Curitiba os produtos produzidos pelos agricultores da região como melado, açúcar grosso, farinha de mandioca, cachaça, feijão, manteiga e outros derivados. Seu caminhão, que na época era uma raridade, na comunidade, prestava serviços de frete aos colonos. Foi eleito Vereador à Câmara Municipal de Biguaçu no ano de 1956, para a legislatura 1957/1960, pelo partido PSD. Foi um homem público de muito prestígio e de credibilidade, sendo incansável na luta pelo desenvolvimento e principalmente no esforço desprendido para a emancipação política e religiosa de Alto Biguaçu. Através de Lei Legislativa nº32/1996, em seu Art.1º- Fica denominada Estrada Antonio José Zimmermann, trecho da estrada municipal ANC-060, compreendido entre o final do perímetro urbano da Rua Libório Francisco Goedert, até o acesso à estrada do Louro, Neste Município. Seu Nico, faleceu no dia 27 de abril de 1968, e está sepultado no cemitério municipal Pe. Alfredo Junkes em Antonio Carlos.

 


 

Cândido João de Aquino

Legislatura 1955-1958

 

 

 

Nasceu no dia 11/03/1921, no bairro Três Riachos, em Biguaçu/SC, filho de João Policarpo de Aquino e Phelomena Floriana de Aquino. Valores morais e preceitos religiosos marcaram sua vida. Estudou até o 4º ano do primário. Aos 22 anos, em 1943, serviu o Exército. Em 1944, com a 2ª Guerra Mundial, compôs a Força Expedicionária Brasileira (FEB). Na Itália lutou sob o comando do Exército Norte Americano. Após guerra, retornou à família em outubro de 1945. Casou-se com Maria Águida de Souza da comunidade de Santa Catarina, Biguaçu/SC em 14/11/1946, com quem teve 17 filhos. Atuou como Agricultor, Pecuarista e Comerciante, por mais de duas décadas. Em 1955 foi candidato à Vereador, pela UDN. Eleito, exerceu o cargo por 04 anos (1956 à 1960), sem remuneração. Em 1970, nomeado Funcionário Público Estadual, exerceu a função de Chefe de Turma de Serviços Gerais, no IEE/Florianópolis/SC, por 12 anos. Aos 60 anos, pediu demissão do cargo, por ser Ex-Combatente/FEB beneficiado pela Pensão Especial do artigo 30 da Lei nº 4242/63 através do Título de Pensão Militar nº 686/81 de 14/10/1981 a contar de 16/07/1981, com a graduação de Segundo Sargento do Exército Brasileiro. Por três décadas, assumiu trabalhos voluntários junto a Paróquia São João Evangelista de Biguaçu. Exerceu o Ministério da Eucaristia, por 20 anos. Atuou nos Vicentinos e Grupo Bíblico em Família, no bairro Vendaval onde residiu por 33 anos. Homem de ação, exemplo de fé e testemunho. Exercitou a acolhida e generosidade, junto a Capela “Santa Clara’’ e aos menos favorecidos até sua partida aos 93 anos, 05 meses e 03 dias, em 14/08/2014.

 


 

João Francisco Setúbal

Legislatura 1955-1958

 

 

Nasceu em 13/12/1913. Era homem pequeno na estatura, mas grande nos feitos. Corajoso, guerreiro e estóico navegou nos mares bravios da existência para garantir o sustento e a educação de sua numerosa prole. Possuidor de caráter firme e generoso era determinado e humanista com perfil de saber viver em sociedade. Católico fervoroso encontrou na fé cristã grande aliada para superar um grande revés afetivo: em 1997, a perda do filho a quem batizara com o seu mesmo nome: João Francisco Setubal Filho. Dotado de caráter pró ativo e personalidade resiliente, atuou ativamente prestando serviços comunitários junto à população de Biguaçu e entorno de hoje Antônio Carlos. Possuía fé pública junto ao registro civil da localidade de Santa Catarina, para atestar nascimentos e óbitos. Estava sempre pronto para servir a comunidade, não importava a hora do dia e da noite; se chovia, ventava ou fazia sol. Nas lides públicas, também ingressou na política pela sigla PSD. Elegeu-se vereador para o período de mandato de 01/02/1955 a 01/02/1959. Apreciava a política partidária e teve forte atuação na campanha eleitoral para então presidente da República Jucelino Kubitschek de Oliveira. Foi cabo eleitoral de diversos líderes políticos, local e estadual, dentre eles, Aderbal Ramos da Silva, Ivo Silveira, Celso Ramos, Lauro Locks, Olivério Vieira Corte. Para participar das reuniões na Câmara de Vereadores se deslocava ora de carreta, outras vezes a bordo de sua bicicleta e muitas vezes a cavalo. Vale lembrar que há época não havia subsídio para vereador; lutou pela alfabetização de adultos; permitiu, por muito tempo, que parte de sua moradia se transformasse em sala de aula; mesmo não sendo mais vereador, auxiliou, inclusive financeiramente, e instruiu agricultores e familiares, no acesso a aposentadoria; se dedicou bravamente pelo novo traçado do Rio Biguaçu.


 

Militão José Coelho

Legislatura 1955-1958

 

Nasceu na localidade de Alto Biguaçu, no dia 10/03/1905, filho de José Coelho Vieira Junior e de Maria José Sardá. Agricultor, possuía um engenho de farinha, açúcar e cachaça. Em 1933, Militão casou-se com Maria Garcia Coelho, deste matrimônio tiveram 11 filhos: Zaide Maria, Maria Izete, Acácio Militão, Aldéia Maria, Ruthe Maria, Neusa Maria, Osório Militão (foi vereador na Câmara Municipal de Antônio Carlos de 1976 a 1982), Eroni Maria, Maria Zenita, José Militão e Maria Odélia. Em 1930, Militão e seu cunhado, fundaram uma fábrica de telhas e tijolos, formando a Cerâmica Coelho. Como cidadão exemplar, participativo e respeitado por toda a comunidade, foi indicado Sub-Delegado de Polícia do Distrito de Antônio Carlos no período de 1946/1949. Empreendedor e preocupado com o desenvolvimento de sua comunidade, decidiu entregar-se no meio político para buscar ações nas demandas das comunidades do Distrito de Antônio Carlos. Elegeu-se vereador de Biguaçu no período de 1956/1959, pelo PSD. Foi nomeado Juiz de Paz de Antônio Carlos, no ano de 1963/1964. Em 29/02/1964 o Governador do Estado, Dr. Celso Ramos, nomeou Militão José Coelho para exercer o cargo de Prefeito Provisório do Município de Antonio Carlos, vago em virtude da exoneração de Teodósio Maurício Wanderley, exercendo o cargo até 14/03/1965. No dia 4 de outubro de 1986, Militão, foi homenageado pelo Presidente do PMDB/SC, Sr. Pedro Ivo Figueiredo Campos, com uma placa alusiva aos 10 anos de fundação do PMDB de Antônio Carlos, do qual foi grande defensor e colaborador. Em novembro de 2002, foi aprovado o Projeto Legislativo denominando Rua Militão José Coelho, com início na Av. João Frederico Martendal, até a Rua 06 de Novembro, na comunidade de Canudos. Homenagem prestada à ilustre personalidade da história política, econômica e social da nossa comunidade.


 

Orlando Romão de Faria

Legislatura 1955-1958

 

 

 

Nasceu no dia 22/02/1920, no município de Biguaçu/SC, é o oitavo filho de Romão Francisco de Faria e Olivia Floriana de Faria, viveu sua infância até os oito anos de idade em Três Riachos. Em 1928, a família mudou-se para Biguaçu onde vive até hoje. Fez o estudo primário no Grupo Escolar Professor José Brasílico e curso Complementar no mesmo estabelecimento escolar. Aos dezoito anos, alistou-se no 14° Batalhão de Caçadores de Florianópolis, onde somente em 04 de março de 1947 solicitou baixa, já como 3° Sargento. Esta decisão foi tomada para assumir o Cartório de Registro de Imóveis. Neste mesmo ano, Orlando Faria ingressou para a vida pública. No dia 28 de novembro, o Dr. José Martins Guedes Pinto, diplomou-o como Prefeito Municipal da Comarca de Biguaçu, onde exerceu o cargo até 1951. Em sua trajetória política, entre os anos de 1956 e 1960, ocupou uma cadeira na Câmara Municipal de Biguaçu, pelo Partido Social Democrático (antigo PSD). Sua ocupação profissional foi de servidor do Tribunal de Justiça do Estado de Santa Catarina, como Tabelião do Tabelionato Faria na comarca de Biguaçu. E aos 70 anos de idade, aposentou-se compulsoriamente. Orlando Romão de Faria, tem 07 filhos: Marcos, Márcia, Márcio, Marcelo (in memorian), Marcélia, Róger e Josete. Atualmente, aos 95 anos, Orlando é o patriarca de uma família que é formada por seus filhos, 15 netos e 8 bisnetos.

 


 

Pedro Jerônimo Guesser

Legislatura 1955-1958

 

 

 

Nasceu na localidade de Rachadel no dia 13 de junho de 1902, e casou-se com Maria Mannes Guesser e desse enlasse nasceram 14 filhos: Eurósia, José, Longino, Arnida, Antônio, Maria Padre Olívio, Sergio Luzia, Gerônimo, César, Lourival, Apolônia e Pedro. Sempre participou ativamente na comunidade em ações voltadas ao interesse comum, integrando e participando efetivamente de entidades e associações comunitárias, religiosas e políticas, visando sempre o desenvolvimento da comunidade e região. Sua liderança de homem público destacaram-se nas comissões da Capela de Rachadel e na Câmara Municipal de Biguaçu, onde exerceu o cargo de Vereador no período de 1951 a 1956, representado as comunidades de Rio Faria, Rachadel e Alto Rachadel, hoje Vila 12 de Outubro, pelo partido da UDN. Na época os vereadores não recebiam subsídios, tendo que se reunir quinzenalmente ordinariamente e quando necessário eram convocados extraordinariamente para deliberarem pautas que requeriam urgência. O vereador na sua comunidade era requisitado para resolver casos de emergência tais como manutenção de estradas, onde prestava serviços sem ser remunerado pela prefeitura. Através da Lei Legislativa n° 030/1996 proposto pelo vereador Ivens Antonio Scherer e sancionado pelo Prefeito Ari J. Martendal, domina Estrada Pedro Gerônimo Guesser, o trecho da estrada municipal ANC-154, entre o acesso à Rio Faria até o início da comunidade de Vila 12 de Outubro, no município de Antonio Calor. Seu espírito empreendedor e inovador foi uma constante em toda a sua vida, além de exemplar cidadão e pai de família. Faleceu no dia 20 de março de 1995 e está sepultado no cemitério da capela de Bom Jesus, em Rachadel.


 

Legislatura 1959-1962

 

Aloysio Matias Gesser

Arlindo Corrêa

Basilício João de Andrade

Cantídio Viríssimo Bernardino (Biografia consta na legislatura 1947-1950)

David Crispim Corrêa (Biografia consta na legislatura 1947-1950)

Emídio Amorim Veríssimo

João Paulo Rodrigues

Pio Romão de Faria

Tomaz João de Aquino

 

Características da Legislatura:

Eleição: 03/10/1958

Posse: 03/02/1959

Composição de vereadores nesta Legislatura: 09

Presidente: Pio Romão de Faria 1959-1962

Suplentes: Miguel Pedro dos Santos

 Alberto Manoel da Rocha

 Osvaldino Hoffmann


 

Aloysio Matias Gesser

Legislatura 1959-1962

 

 

 

Nasceu no dia 23/08/1912, no bairro Santa Maria em Antônio Carlos, filho de Matias André Gesser e Maria Schmitt. Casou-se com Verônica Müller, com quem teve 08 filhos: José Pedro (Nino), Maria Terezinha (Tereza), Bernadete Ana (Ninha), Lourdes (Roca), Antônio (Tony – in memoriam), Francisco Matias (Chico), Luzia Lídia (Lúcia) e Aloísio Inácio (Pelé). Em uma época difícil estudou apenas até a 4ª série, na escola particular José Zimmermann em Santa Maria. Foi agricultor na juventude e posteriormente estabeleceu-se nas proximidades da sede da comunidade de Santa Maria, abrindo um armazém. Além de armazém, eram realizadas no local as tradicionais domingueiras, sendo um importante ponto de encontro da comunidade. Atuou no transporte e comércio da produção agrícola da região em especial o açúcar mascavo, transportando o produto de carroça de Santa Maria e região até Biguaçu e Florianópolis. Na área pública e social, participou ativamente da vida comunitária, sendo membro fundador da Sociedade Esportiva e Recreativa Cruzeiro de Santa Maria, no ano de 1953 e presidindo a entidade por vários anos, além de diversas outras atividades. Fruto do seu trabalho, envolvimento social e comunitário, candidatou-se vereador em 1958, sendo eleito com 213 votos, pelo PSD – Partido Social Democrático, quando Antônio Carlos ainda denominava-se Distrito de Paz de Antônio Carlos e ainda pertencia ao município de Biguaçu. Faleceu em 27/08/1983 e está sepultado no Cemitério da Capela de Santa Maria.

 


 

Arlindo Corrêa

Legislatura 1959-1962 / 1963-1966 / 1973-1976

 

 

 

Nasceu no dia 17/10/1927, no bairro Sorocaba em Biguaçu, filho de David Crispim Corrêa e Maria Leal Corrêa. Casou-se com Asyla Pauli Corrêa com quem teve 04 filhos: Stela Maris, Elenice Terezinha, Arlindo Kleber e David Crispim. Exerceu as seguintes atividades profissionais: agricultor, motorista e servidor público estadual. Atuou em prol da comunidade nas seguintes atividades: Presidente do CAEP e pró-construção da Capela N. S. de Aparecida, em Sorocaba do Sul. As atividades Políticas exercidas foram: Membro do Diretório e da Executiva do Partido Progressista; Presidente da Associação dos Municípios da Grande Florianópolis; Vereador nas Legislaturas: 1961 a 1965/ 1966 a 1970/ 1973 a 1977; Vice-Prefeito Municipal na gestão: 1977 a 1982 e Prefeito Municipal nas gestões: 1983 a 1988 e 1997 a 2000. Faleceu no dia 26/12/2010.

 


 

Emídio Amorim Veríssimo

Legislatura 1959-1962 / 1967-1970

 

 

 

Filho de Fermínio Veríssimo Bernardino e Julieta Amorim Veríssimo, nasceu em Biguaçu no dia 02 de maio de 1932 . Casou-se no dia 02/08/56 com Lígia Mendes Cidrão, com quem teve três filhos, Solange, Ricardo e Ronaldo e cinco netos, Marcela, Gustavo, Leandro, Vanessa e Lucas. Emídio era um homem simples, de hábitos rotineiros e tinha como fórmula para a busca da felicidade, o trabalho, o bem estar da família e dos amigos,a contribuição para a existência de uma sociedade mais igualitária, acreditava que através da política poderia contribuir para a construção da cidadania. Candidatou-se a vereador em 1958, foi eleito para o mandato de 1959/1962 e para o mandato de 1967/1970, pelo antigo PDS. Foi sócio fundador e Presidente do Biguaçu Atlético Clube-BAC, foi homenageado pelo BAC na Assembleia Legislativa. Trabalhou e foi proprietário de uma pequena padaria, foi funcionário público federal, trabalhou no DENTEL, aposentando-se pelo mesmo. Seu último trabalho foi na lotérica de propriedade de seu filho Ricardo. Foi conselheiro do Avaí, seu time do coração, também era torcedor do Vasco da Gama. Emídio com seu jeito amigo de ser deixou muitas saudades em seus familiares e em toda a comunidade biguaçuense  ao falecer prematuramente, vítima de um AVC aos 52 anos de idade. Ainda é lembrado por suas características: simplicidade, honestidade, trabalho, contribuição para a construção da cidadania e principalmente amor à família.

 

 

 

João Paulo Rodrigues

Legislatura 1959-1962

 

Nasceu em Biguaçu (Três Riachos), filho de Paulo Pedro Rodrigues e Maria Benta da Silva. Casado com Marly Siqueira Rodrigues, pai de Álvaro Augusto, Aloísio José, Adriana Rodrigues Piazza e João Paulo Rodrigues Júnior. Estudou na Escola Isolada Municipal Morro do Viveiro, no Grupo Escolar José Brasilício, no Seminário Menor Metropolitano de São Ludjero, Seminário Menor Metropolitano de Azambuja – Brusque, na Escola Técnica de Comércio de SC, na Faculdade de Direito da UFSC tendo colado grau de bacharel em Direito em 08/12/61. Estatístico concursado do Departamento Estadual de Estatística 54. Secretário da Junta Executiva Regional do Conselho Nacional de Estatística do IBGE. Secretário de Estado dos Negócios do Trabalho e Habitação de SC, no governo Ivo Silveira 66/71. No BNH fundou e Presidiu o Conselho Administrativo e foi Diretor Superintendente do Instituto de Orientação às Cooperativas Habitacionais de SC. Presidente do IPESC, no governo Antônio Carlos Konder Reis 76/80. Vice-Presidente e Diretor da Caixa Econômica Estadual 80. Vice-Presidente e Diretor de Operações da BESCRI, no Governo Jorge Konder Bornhausen 80/83. No BESC foi Diretor Presidente da BESCAM, no Governo Esperidião Amim 83-86. Procurador Jurídico do Estado, aposentado 87. Advogado, com inscrição na OAB/SC sob o nº 534, desde 61. Membro e Secretário Geral do Diretório Municipal de Biguaçu da UDN até 66, Vereador eleito pela UDN em 62. Fundador e Presidente do Diretório Municipal da ARENA e do PDS de Biguaçu. Membro do Diretório Municipal do PFL. Fundador e Presidente da Sociedade Cultural Pró-Museu Etnográfico, Casa dos Açores de São Miguel, Biguaçu 80. Fundador e Consultor Jurídico da APREMABI. Fundador e primeiro Presidente da  OAB/SC, Subseção de Biguaçu 92. Membro do Conselho de Desenvolvimento Municipal de Biguaçu (representante da OAB/SC) 09-14.


 

Pio Romão de Faria

Legislatura 1959-1962

 

 

 

Natural de Biguaçu, filho mais novo de Romão Francisco Faria e Olivia Floriana de Faria, foi casado com a professora Lindoia Maria Souza de Faria, teve quatro filhos, um deles, Murilo, foi vice-prefeito de Biguaçu entre 1993/1996. Foi eleito vereador em Biguaçu pelo PSD no ano de 1961/1965, tendo ocupado a Presidência da Câmara em sua legislatura. Sempre atuante na vida do Município, cujas origens familiares denunciam o vínculo, representa uma das famílias mais tradicionais da cidade, posto que, além de antiga, numerosa e atuante é exclusivamente natural de nossa terra. No município, Pio trabalhou no Cartório do Fórum da Comarca e no Tabelionato Faria, cuja serventia era delegada a um de seus irmãos, bem como, teve grande participação na vida do Antigo Nagib Salum, hoje BAC (Biguaçu Atlético Clube), onde foi atleta e treinador por muitos anos. Pio fez carreira no Tribunal Regional Eleitoral, vindo a se aposentar como chefe da maior zona eleitoral da Capital.

 


 

Tomaz João de Aquino

Legislatura 1959-1962

 

 

Nasceu no dia 29/12/1919, no bairro Três Riachos, em Biguaçu-SC, filho de João Policarpo de Aquino e Phelomena Floriana de Aquino. Agricultor. Casou com Norma Lídia Coelho, filha de Manoel Antônio Coelho e Lídia Mássera Coelho. No ano de 1943, mudou-se para a comunidade de São Mateus, onde montou um armazém com secos e molhados da época, mais tarde aumentou com uma loja de vestuário e calçados. Residiu no mesmo local por mais de 30 anos, teve 07 filhos e filhas. Durante essa caminhada participou de muitos eventos comunitários atuando ativamente, em especial, administrando a capela a qual ele mesmo foi um dos fundadores. Em 1960, recebeu uma visita inesperada, políticos influentes o convidaram para ser candidato a vereador. Dentre eles destaca-se Candido João de Aquino, seu irmão e ex-vereador de Biguaçu, Candido Veríssimo, vereador atual da época, e o Deputado de Florianópolis, Sebastião Neves, entre outros.  No início recusou o convite, mas depois aceitou atuando de 1961 a 1965. As sessões eram realizadas as terças-feiras em Biguaçu, saia às 05 horas da manhã de carroça para esses encontros com os vereadores e outras comunidades, como também da sede de Biguaçu. Sem nenhuma remuneração e com bastante dificuldade, pois na época a viagem de 20 km demorava 3 horas ou mais, dependia da vontade e da resistência do animal que puchava a carroça, era muita lama, em certos trechos não sabia onde ficava o caminho, nem estrada tinha. No ano de 1978, veio a falecer cometido por um AVC, deixando a esposa, filhos, parentes e amigos em total desolação. Mas as boas obras que realizou, seus bons papos, sua integridade, seu caráter de homem honesto e seus bons exemplos continuam junto a saudade em nossos corações. João Tomaz de Aquino, seu filho.


 

Legislatura 1963-1966

 

Abrão Francisco Roberto da Silva

Arlindo Corrêa (Biografia consta na legislatura 1959-1962)

Cantídio Viríssimo Bernardino (Biografia consta na legislatura 1947-1950)

João Vendelino Schimit

Jorge Fernandes de Alcântara

Miguel Pedro dos Santos

Nilto Olegário Schimitt

Olegário João Junkes

Osvaldino Hofmann

 

Características da Legislatura:

Eleição: 07/10/1962

Posse: 01/02/1963

Composição de vereadores nesta Legislatura: 09

Presidente: Abrão Francisco Roberto Silva 1963 – 1964 - 1966

Miguel Pedro dos Santos 1965

Suplentes: Alberto Manoel da Rocha..

 Orildo José Candido

 Basilicio João de Andrade

 Emídio Amorim Veríssimo

 Sebastião José Kremer

 Benjamim Corrêa


 

Abrão Francisco Roberto da Silva

Legislatura 1963-1966

 

 

 

Conhecido como Roberto Silva e mais tarde “Roberto Biguaçu”, nasceu no dia 17/01/1938 em Alto Biguaçu. É filho de Francisco Roberto da Silva e Maria Salum Silva. Casou-se com Alair Amorim da Silva. Dessa união adveio o nascimento de 02  filhos: Rodrigo e Isabela. Inicialmente foi empresário com atuação nas empresas da família. Mais tarde, após ser vereador em Biguaçu, manteve intima relação com a Política. Foi assessor do Vice-Governador Francisco Dall’Igna que foi cassado em 10/03/1967. Funcionário da Assembleia Legislativa de Santa Catarina. Foi convocado para trabalhar no Gabinete do Governador Esperidião Amim, durante o seu Mandato. Foi chefe de gabinete do Deputado Estadual Julio Garcia. Assessorou o Senador Jorge Bornhausen até o fim de sua vida, tendo trabalhado na Casa Civil da Presidência da Republica quando Jorge Bornhausen foi Ministro. Chamado por todos e em todo o Brasil por Roberto Biguaçu. Ele faleceu em 26/02/2009.

 


 

João Vendelino Schimit

Legislatura 1963-1966

 

 

Nasceu em 27/03/1918 em Antônio Carlos/SC, filho de Vendelino João Schmitz e Rosalina Schmitt, casou-se no dia 26/11/1943 com Maria Reitz, desta união nasceram: Lúcia, Vilson, Jaime, Nilzete, Inês, Elizabeth, Raulino, Valter e Gilberto. Sua vida política iniciou-se muito cedo. Foi Conselheiro Administrativo da Capela e da Matriz do Sagrado Coração de Jesus no período de 1957/1967 e um dos líderes para que a antiga Capela subordinada a paróquia de Biguaçu fosse elevada à Paróquia, este fato aconteceu em 19/03/1958 e é tido como primeiro passo para a emancipação política. “João do Vendelino” foi o maior incentivador da emancipação de sua amada terra. Como político militava no Partido Social Democrático – PSD -, sendo eleito Vereador Representante do Distrito de Antônio Carlos na Câmara de Vereadores de Biguaçu. Lutou com todo o empenho para a criação do município, apresentado, em 16 de julho de 1963, o projeto da criação de 02 novos municípios, os atuais Antônio Carlos e Governador Celso Ramos. Obteve após ferrenha batalha a aprovação unânime nas 03 votações consecutivas, que culminou com a aprovação da Lei Estadual nº 928, de 06 de Novembro de 1963, criando o município de Antônio Carlos. Candidatou-se, em 1965, a prefeito da cidade que ele acabara de emancipar, concorrendo pelo PSD a pedido do então Governador do Estado, Celso Ramos. Lutou ardorosamente pela vitória nas eleições, que no entanto lhe fugiu das mãos, pois por tradição Antônio Carlos era lugar de povo udenista. Obteve 774 votos, enquanto seu concorrente, Sebastião João Pauli, foi contemplado com 965. O grande líder, “primeiro antônio-carlense”, João Schmitz partiu prematuramente aos seus 52 anos de idade, morreu de mal súbito em 11/09/1970.


 

Jorge Fernandes de Alcântara

Legislatura 1963-1966

 

 

 

Nasceu no dia 23/02/1936, em Três Riachos, filho de Francisco Fernandes e Virgínia Díbia de Alcântara, terceiro filho dos 06 irmãos, casou-se em 02/01/1966, com Sandra Maria Elias Nicolau, com a qual teve 05 filhos (Cristiane, Jamil, Carla, Alessandra e Graziela), fez o primário na Escola Básica Professor José Brasilício e estudou até a sétima série no Colégio Catarinense em regime de internato. Aos 15 anos, foi trabalhar no comércio dos seus pais, a família possuía um caminhão com o qual transportava produtos agrícolas comprados no interior de Biguaçu para revendê-los no mercado público de Florianópolis. Ingressou jovem na vida política, elegendo-se vereador em meados de 1962 pela UDN, sendo Presidente da Câmara. Em 1965 elegeu-se como Prefeito, cumprindo seu mandato de 1966/1970, sendo considerado o “Prefeito do Povo”, pois era humilde e trabalhador, época, em que o Prefeito não era remunerado. Foi durante sua administração que Biguaçu ganhou seu primeiro colégio de 2º grau, em 1968, com a inauguração do Colégio Estadual Maria da Glória Viríssimo de Faria, construída pelo governo do Estado em terreno doado no centro da cidade por um Libanês, chamado Jorge João Salum.  Também iniciou, em 1968, as obras da rede de distribuição de água potável da Casan em Biguaçu, a inauguração dessa obra histórica ocorreu em 23/05/1970. No seu governo foi tombado, como Patrimônio Cultural do município, o casarão que seria o Museu Etnográfico Casa dos Açores, cartão postal de São Miguel, incluindo a Igreja local e o aqueduto. Ao afastar-se da política dedicou-se ao comércio, voltando nos seus últimos dias a ser funcionário da Prefeitura Municipal de Biguaçu até o seu falecimento em 22/09/2009.

 


 

Miguel Pedro dos Santos

Legislatura 1963-1966

 

 

 

‘Miguel Flor’ nasceu no dia 29/09/1913, no bairro Canto dos Ganchos, em Governador Celso Ramos/SC. Filiação: Pedro Vicente dos Santos e Clarinda Anastácia dos Santos. Estado Civil: era casado com Célia Lisboa Dos Santos. Filhos: 06: Pedro Paulo, Antônio Carlos, Maria Natália, José Miguel, Márcia Maria e Maria Inez. Atividades profissionais: carpinteiro, industrial, Oficial do Registro Civil, Escrivão de Polícia e Servidor Público Estadual aposentado. Atividades Comunitárias: Presidente da Colônia de Pescadores de Canto dos Ganchos, Presidente do CAEP da Capela de São Pedro em Canto dos Ganchos. Atividades Políticas: Membro de Diretório e da Executiva do PSD; Membro do Diretório da ARENA, PSD, PMDB de Governador Celso Ramos; 1º Prefeito eleito de Governador Celso Ramos e Vice-Prefeito no mesmo Município. Vereador na Legislatura: 1962/1966, onde entre outros projetos apresentou o da emancipação política dos Municípios de Governador Celso Ramos e Antônio Carlos. Suplente de Vereador em outra legislatura.

 


 

Nilto Olegário Schimitt

Legislatura 1963-1966

 

Nasceu na localidade de Rachadel no dia 11 de setembro de 1938, filho de José Martinho Schmitt e Augusta Muller. Casou-se com Neide Maria Muller com a qual teve dois filhos: Nilton e Neiva. Contraiu segundo matrimônio com Neide Farias e deste enlace nasceu sua filha Caroline. Conhecido por “Mimi”, desde jovem foi um empresário dinâmico na área de transporte de passageiros de cargas. Em 1962, sua família, através de sua mãe Augusta Muller, adquire de Claudino Peres a Empresa Coletivo Biguaçu que passou  a denominar-se Empresa de Transporte Auto Biguaçu Ltda. Onde dispunham de dois ônibus que faziam as linhas de Santa Maria /Florianópolis e Rachadel/Florianópolis com saídas pela manhã e retorno à tarde. Este serviço era feito com muita dificuldade, considerando a precariedade das estradas, porém seu compromisso maior era atender toda a população do Alto Biguaçu, diariamente. A empresa manteve-se até 1966. Sendo vendida para os irmãos Pauli em 25 de maio daquele ano. Foi vereador aos 25 anos de idade, no período de 1963 a 1967 pelo partido do PSD. Foi junto a seus pares um grande defensor da emancipação política de Antônio Carlos em que teve o grande mérito de lutar pela criação do município como também de manifestar seu voto, concretizando o sonho acalentado em todas as comunidades de Alto Biguaçu. Pela dedicação a sua terra e nossa gente, recebeu justa homenagem conferindo-lhe o nome ao logradouro, no trecho da estrada municipal ANc-154 compreendido entre a ponte do Rio Biguaçu até o acesso à comunidade de Rio Faria, antiga estrada de Rachadel, neste município: Fica denominada Estrada Nilto Olegário Schmitt, proposição do vereador Ivens Antônio Scherer, através do Projeto de Lei n° 036/1966 e sancionada pelo executivo em 25 de junho de 1966. Veio a falecer tragicamente em acidente de trânsito com seu caminhão de transporte de cargas, no dia 30 de maio de 1982, e está sepultado no cemitério municipal de São José-SC.


 

Olegário João Junkes

Legislatura 1963-1966

 

 

 

 

Nasceu no dia 09/05/1930, na localidade de Alto Biguaçu, hoje Antônio Carlos, onde viveu até seu falecimento em 15/04/2007. Filho de Vitorina Schweitzer e João Luiz Junkes. Casou-se com Bernadete Pitz Junkes, em 08/11/1952, com quem teve 11 filhos. Foi eleito vereador em Biguaçu em 07 de outubro de 1962, durante seu mandato foi aprovado o projeto de Lei que criou o município de Antônio Carlos, onde então foi vereador pelos seguintes períodos: pela UDN de 1965/1969; pela ARENA de 1970/1972 e 1973/1976. Foi o primeiro presidente da Câmara de Vereadores de Antônio Carlos e tornou-se presidente por mais uma vez no período de 1970/1972. Como vereador ajudou a abrir a estrada geral do Louro, participou da comissão da Capela de São Pedro Apóstolo, na comunidade do Louro, nos períodos de 1964/1971 e 1984/1987, onde neste mesmo período foi Diretor da Escola Mista Estadual. Foi produtor artesanal, por volta de 49 anos, de melado, cachaça e farinha de mandioca. Em 20 de fevereiro de 1985, industrializou a produção artesanal de farinha de mandioca criando a empresa de “Farinha Especial Torrada Flor da Terra”, onde trabalhou até outubro de 2002.

 


 

Osvaldino Hofmann

Legislatura 1963-1966

 

 

 

Nasceu no dia 18/09/1922, é natural de Santa Maria, Antônio Carlos/SC, filho de José João Hoffmann e Apolônia Junkes. Estudou até o quarto ano primário na Escola Estadual de Louro. Casou-se em 26 de junho de 1947 na Capela de Santa Maria com Hermínia Luzia Schmitz. Desta união nasceram: Amilton José, Arlete Maria, Arnilo Antônio, Alério Francisco, Astério Adão, Avanir Salete (in memoriam), Anicie Avanir, Anacleto Osvaldino, Anelize Bernadete (in memoriam), Acione do Carmo, Adair Luiz, Odete Inês e Alcenir Dário. Exerceu as atividades de agricultor, carroceiro e comerciante. Sua família morou na Casa Paroquial da Capela de Santa Maria. Foi grande líder e fundador da Sociedade Esportiva Cruzeiro em Santa Maria e sócio da Sociedade Esportiva Estrela Azul de Antônio Carlos. Osvaldino foi eleito vereador pela UDN do Distrito de Antônio Carlos, nos anos de 1954, 1958 e 1962, à Câmara Municipal de Biguaçu/SC. Emprestou o seu nome a uma rua no centro da cidade de Antônio Carlos. Faleceu no dia 04 de dezembro de 1965, no Hospital Nereu Ramos, em Florianópolis. Seu corpo foi cortejado pelos jogadores da Sociedade Esportiva Recreativa Cruzeiro, com vestes daquela sociedade, até a Capela de Santa Maria e cemitério local.


 

Legislatura 1967-1970

 

Antônio Fagundes

Daniel José Sperandio

Emídio Amorim Veríssimo (Biografia consta na legislatura 1959-1962)

Estefano Braz da Rocha

José João Feltz

Nilo Gasperi

Odevar Nunes

Paulo Frederico Alves Wildner

Valter Rosa

 

Características da Legislatura:

Eleição: 15/11/1966

Posse: 14/02/1967

Composição de vereadores nesta Legislatura: 09

Presidente: Paulo Frederico Alves Wilder 1967-1970

Suplentes: Hercílio Manoel Marcelino

 Reduzino Romão de farias,

 Aldemir Silvio Jerônimo.

 Orivaldo Correia


 

Antônio Fagundes

Legislatura 1967-1970

 

 

 

Nasceu no dia 08/07/1924, localidade de Sorocaba, em Biguaçu, e foi nesta cidade que tanto amava, que viveu por toda a sua vida. Trabalhou, fez muitos amigos e casou-se com Soeli Salum, com quem teve 03 filhas. Antônio Fagundes exerceu, principalmente, a profissão de motorista de ônibus da empresa Biguaçu, como tal aposentou-se, e foi através desta profissão que se tornou muito querido e popular em sua cidade, já que tratava seus passageiros com carinho, respeito e zêlo. Conhecia a todos pelo nome, interessava-se por suas histórias, por seus problemas e fazia tudo o que estava ao seu alcance para que tivessem sua rotina preservada e segura. Nas horas de descanso, dedicava-se á sua esposa, Lili, ás filhas, aos netos e também aos seus animais. Em um tempo que não se falava em proteção animal, Antônio Fagundes, já era conhecido por estender sua bondade e generosidade também aos animais necessitados. Apaixonado por sua cidade e com muita vontade de contribuir para o seu crescimento e o bem estar de seus habitantes, Antônio Fagundes, encontrou na política o meio adequado para atingir tal finalidade e, em 1965, foi o primeiro vereador eleito pelo MDB de Biguaçu. Quando o Município possuía apenas três mil eleitores, “seu” Antônio obteve 245 votos, constituindo-se como o vereador mais votado do partido por quase duas décadas.

 


 

Daniel José Sperandio

Legislatura 1967-1970 / 1970-1973 / 1983-1988

 

Nasceu no dia 20/11/35, em Florianópolis, filho primogênito de Próspero José Sperandio e Alice Meireles Sperandio.  Daniel era de uma família simples, foi criado com educação e honestidade. Cursou o primário na escola de Sorocaba de Dentro, estudou em Tijucas/SC, e no Colégio Catarinense em Florianópolis, onde foi interno até o segundo ano ginasial. Retornou a Sorocaba de Dentro e casou-se com Irina Deanlho Sperandio, em 27/07/57, com quem teve 04 filhos: Ledamare, Vera Alice, Clélia Maria e Daniel José Sperandio Jr., e 05 netos. Foi agricultor, motorista, prestando serviços para a empresa Souza Cruz de cigarros, foi também caminhoneiro. Sempre teve interesse por política. Em 1967, elegeu-se pela primeira vez vereador pela Arena, havia alcançado seu sonho. Em seu mandato de vereador as estradas de Sorocaba de Dentro e outros serviços eram executados por seu caminhão. No segundo mandato, em 1977-PDS, foi o mais votado, continuou ajudando as pessoas de Sorocaba e de outras comunidades de Biguaçu.   Abriu a madereira Sperandio e mais tarde uma fábrica de esquadrias. Seu terceiro e último mandato foi em 1983-PDS. Quando em 1988 recebeu seu primeiro salário como vereador, ficou feliz, pois poderia ajudar mais a comunidade. Ajudou a eleger vários deputados. Deixou a política e continuou seu trabalho como empresário.  Adorava rodeios e foi sócio fundador do CTG Sela de Prata. Em 2004, descobriu um câncer que o fez desistir dos sonhos e das alegrias que seus filhos e netos lhe proporcionavam. Faleceu aos 67 anos no Cepom de Florianópolis, no dia 27/07/04, ao lado de sua esposa Irina e sua filha Clélia. Suas ultimas palavras foram “AMO MUITO MINHA FAMÍLIA, MAS TENHO QUE PARTIR”. Está sepultado no cemitério de Sorocaba de Dentro onde sempre residiu.


 

Estefano Braz da Rocha

Legislatura 1967-1970

 

 

 

Nasceu no dia 08/05/1933, popular seu Fano, filho de Braz Armindo da Rocha (in) e Ozina da Rocha (in), natural de São Miguel, casou-se com Maria Julieta da Rocha, teve 08 filhos. Elizabet, Elizete, Édio, Elias, Eliane, Édna, Eunice, Eleonara. Estefano foi um político atuante que sempre lutou em prol de melhorias para o município de Biguaçu e seus munícipes. Foi vereador em 1966/1970. Filiou-se ao partido PMDB, onde foi um dos fundadores em Biguaçu e candidatou-se a prefeito em 1982. Além de político, trabalhou muito por Biguaçu exercendo várias atividades, entre elas, como ajudante na construção na BR 101, taxista, padeiro, juiz de paz, e comerciante.  Hoje é um dos mais antigos comerciantes de Biguaçu, é proprietário da Casa Rocha, que a mais de 60 anos atua na Praça Central de Biguaçu sempre servindo o povo biguaçuense e região.

 


 

José João Feltz

Legislatura 1967-1970

 

 

 

Nasceu no dia 20/11/1924, natural de Antônio Carlos/SC, filho de João Henrique Feltz e Paulina Pedro Feltz, ambos agricultores. Com 08 meses de idade, seus pais e José Feltz foram residir na comunidade do Amâncio que pertence ao município de Biguaçu. Casou-se com Ana Margarida Nau, em 24/09/1940, no Amâncio, fruto desta união, tiveram 15 filhos, 30 netos e 23 bisnetos. José João Feltz trabalhava com a família na agricultura. Em fevereiro de 1959 veio a residir com a família em Sorocaba do Sul, onde alocou um comércio, tinha um salão de baile e um caminhão de transportes. Como era muito comunicativo e tinha muitas amizades, surgiu a vontade de tornar-se político. Em 1967, José Feltz se candidatou a vereador pelo MDB pelo qual foi eleito, nesta época, não havia salários para este cargo. José foi um dos fundadores do partido em Biguaçu. Após 04 anos como vereador, José somente trabalhou como político nas eleições de deputado. Em 2004, José adoeceu com um problema pulmonar e veio a falecer no dia 21/10/2004 com enfisema pulmonar, no hospital Nereu Ramos, em Florianópolis. Está sepultado no cemitério de Sorocaba do Sul, onde residiu.

 


 

Odevar Nunes

Legislatura 1967-1970

 

 

 

Nasceu em Biguaçu, no dia 13/04/1926. Filho de Domingos Pedro Nunes e Francisca Maria Nunes, ficou viúvo cedo e teve seu primeiro filho: Mário César. Alguns anos depois, contraiu matrimônio com Eli Gallon de Lara, tendo mais três filhos: Marcos, Marilda e Mauricéia. Iniciou sua vida política na década de 1950, como cabo eleitoral, filiado ao partido ARENA. Em 1966 foi eleito vereador com 283 votos; nesta época, os vereadores não eram remunerados. Na década de 1970, desligou-se do partido, logo se filiando a UDN. Fez grandes amigos ao longo de sua vida pública, pessoas de grande destaque político no cenário catarinense, como o Governador Sr. Aderbal Ramos da Silva, o ex deputado Artenir Werner e, como grande amigo particular, o ex deputado Fernando B. Viegas. Teve participação direta e efetiva na canalização de água para Biguaçu, juntamente com o Prefeito Jorge Fernandes de Alcântara. O fato curioso é que, por ser final de mandato, somente no pleito seguinte foi inaugurado o sistema de água. Conhecido na cidade por seu apelido, Pavão, tinha por profissão barbeiro. Regia seu oficio com destreza e sua barbearia ficava em locais hoje muito conhecidos: primeiro onde hoje é a Padaria Marilú e, tempos depois, no prédio do Cartório Faria. Também foi funcionário da Prefeitura Municipal de Biguaçu e da Casan, vindo a se aposentar por invalidez, decorrente de um câncer. Faleceu em 21 de janeiro de 1988, com mais de 30 anos de carreira política.

 


 

Paulo Frederico Alves Wildner

Legislatura 1967-1970

 

 

 

Nasceu na pacata Vila da Glória, em São Francisco do Sul no ano de 1922. Em 1948, casou-se com Ruth Mantenfeld, com a qual teve dois filhos: Roberto e Raul.  Mudou-se para Biguaçu para montar sua fábrica de enlatados de peixes e camarões, contando com o apoio do então prefeito da cidade, Cantídio Viríssimo. A Wildner S/A-Pesca, Conservas e Congelados, surgiu em 1955, foi um marco na economia da cidade e a primeira empresa a oferecer mais de uma centena de empregos diretos, funcionou até o final da década de 1970. No auge, chegou a dar 200 empregos diretos e 500 pessoas, principalmente pescadores, dependiam da fábrica indiretamente. Filiado à UDN, homem de visão empresarial e social, foi logo convidado para participar da política municipal. Foi eleito vereador na legislatura 1967/1969. Virou Presidente da Câmara e em seguida, elegeu-se Prefeito da cidade, permanecendo no cargo até 1973. Foi aí que deixou sua grande marca na sua vida pública: A instalação do sistema de água potável e encanada, obra de importância extraordinária até os dias de hoje.  O marco histórico, ocorrido em 23/05/1970, está registrado numa placa de bronze na praça Nereu Ramos. Lá se lê, em letras garrafais, o nome do prefeito da época- Paulo Wildner, o empresário que contribuiu para o progresso de Biguaçu. Quatro anos depois, 1977, Paulo Wildner ganhou o título de Cidadão Biguaçuense pela contribuição de sua empresa na economia da cidade e como homem público que foi, por sua inestimável contribuição para a vida social da cidade!

 


 

Legislatura 1970-1973

 

Abrahão Salum Netto

Adolfo Reitz Bunn

Alberto Manoel da Rocha

Ana Maria Leal Mendes

Daniel José Sperandio (Biografia consta na legislatura 1967-1970)

Esmeraldino Prazeres (Biografia consta na legislatura 1951-1954)

Hercílio Manoel Marcelino

Pedro Paulo dos Santos

Sérgio Locks

 

Características da Legislatura:

Eleição: 30/11/1969

Posse: 31/01/1970

Composição de vereadores nesta Legislatura: 09

Presidente: Abrão Salum Netto 1970

 Pedro Paulo dos Santos 1971

 Esmeraldino Prazeres 1972

Suplentes: Não há registro em ata.


 

Abrahão Salum Netto

Legislatura 1970-1973

 

 

 

Nasceu no dia 27/09/1936, em Biguaçu, filho de Nagib Abrahão Salum e Edmêe Viríssimo Salum. Casou-se com Avani Maria Prazeres Salum no dia 18/12/1962. Dessa união adveio o nascimento de 02 filhos: Nagib e Giovanni Salum. Estes filhos concederam ao casal 04 netos: Giovanni, Eduardo (falecido), Edmêe e Ana Cristina. Estudou no Grupo Escolar “Prof. José Brasilício”, no Colégio Catarinense, no Instituto Estadual “Dias Velho” e na Escola Técnica de Comércio de Santa Catarina. Fez vestibular e frequentou a Universidade Federal de Santa Catarina cursando Ciências Contábeis por poucos meses. Trabalhou na Prefeitura Municipal de Biguaçu e no Tribunal de Contas do Estado. Em 1960, montou seu escritório de Contabilidade. Após isto, em 06 de abril de 1964, foi aprovado no concurso para Fiscal de Contribuições Previdenciárias, sendo nomeado para Fiscal do IAPI, indo trabalhar inicialmente na cidade de Chapecó e região, depois em Itajaí e mais tarde em Florianópolis até quando se aposentou, em 1989. No campo funcional, foi nomeado Diretor da Arrecadação e Fiscalização do Estado de SC. – Funrural. Através de concurso interno, foi aprovado para Fiscal Instrutor e fez treinamento na Fundação Getúlio Vargas, no Rio de Janeiro. Ministrou mais de 150 cursos para Empresários, Chefes de Setores Pessoais e nas Universidades. De 1950 a 2008 participou ativamente da vida política, esportiva e social de Biguaçu. Na vida política foi Vereador e Presidente da Câmara Legislativa, fundou o Partido da Frente Liberal – PFL e participou de importantes decisões políticas. Na vida esportiva é sócio fundador do BAC, aonde jogou e foi Diretor por diversas vezes. Criou e comandou por mais de dez anos o Campeonato Amador de Biguaçu, criando a LICOB, os Jogos de Verão e organizando a 1ª Regata à Vela, com mais de 50 participantes. No campo social foi Diretor da Sr. 17 de Maio, sendo duas vezes Presidente e organizador de diversos Bailes importantes. Orgulhoso de ser cidadão biguaçuense gosta de citar a frase: “O que é bom para Biguaçu, é bom para mim”.


 

Adolfo Reitz Bunn

Legislatura 1970-1973

 

 

 

Nasceu no dia 01/02/1944, atualmente com 71 anos, teve seu nome alterado judicialmente de Adolfo Nicolau Bunn para Adolfo Reitz Bunn, filho de Leonardo Bunn (Falecido) e Laurentina Reitz Bunn (Falecida). Casou-se com Dalva Maria Bunn no dia 25/07/70 em Biguaçu. Dessa união adveio o nascimento de 03 Filhos: um formado em Administração de Empresas, que lhe concedeu um neto, um formado em Bioquímica, que lhe concedeu dois netos e um formado em Direito que lhe deu mais um neto. Possui formação de: Farmacêutico/Bioquímico pela UFSC – Universidade Federal de Santa Catarina em 15/12/1969. Mudou-se para Turvo-SC (Sul do Estado) para trabalhar como Bioquímico no Hospital São Sebastião. Trabalhou 37 anos em Turvo e 09 anos em Araranguá. Há 43 anos na ativa é o responsável técnico pelo Laboratório de Análises Rafael, de sua propriedade, localizado em Araranguá-SC. Participou sempre do Lions Clube, futebol e outras entidades sociais. Na parte esportiva, sempre esteve envolvido em futebol de campo, como acontecia em Biguaçu. Em 1984 fundou em Turvo-SC um time de veteranos, muito bem estruturado, modalidade Futebol de Campo. Jogava todos os sábados, durante 32 anos, mas atualmente não pratica mais a atividade futebolística, acompanhando o esporte apenas como dirigente. Tem participado de excursões ao exterior, com os Manezinhos da Ilha de Florianópolis. No ano de 2013 esteve no leste Europeu, disputando na Polônia um torneio patrocinado pela FIFA, em homenagem à canonização do Papa João Paulo II. Em 2014, foi ao Canadá e Miami. Em Setembro de 2015, irá a Barcelona, Paris e Marrocos.


 

Alberto Manoel da Rocha

Legislatura 1970-1973 / 1973-1976

 

 

Frequentou o curso primário na Escola Isolada Tijuquinhas em Biguaçu. Aos dezesseis anos tornou-se pescador profissional, trabalhando neste mister até os vinte e dois anos. Ao completar os trinta anos, trabalhava por conta própria até quando foi empolgado pelas manifestações populares, por ocasião da campanha política em que disputavam a presidência da república os senhores Getúlio Vargas, Christiano Machado, Eduardo Gomes e João Mangabeira. Filiou-se ao Partido Social Democrático, para no ano de 1962, sendo então membro efetivo de seu Diretório Municipal, candidatar-se a uma cadeira no Legislativo de Biguaçu. As eleições ocorreram em 07 de setembro daquele ano e, procedidas às apurações foi eleito como vereador sob a legenda do saudoso partido PSD. O Movimento Revolucionário que eclodiu a 31 de março de 1964, veio encontrá-lo a postos, identificado com o mesmo já que via com apreensão a insegurança com que o governo anterior aquele movimento, vinha dirigindo o País, fazendo que as instituições estivessem periclitando, face ao clima conturbado que se instalara no País. Disputou a reeleição sob a legenda da Arena no pleito de 1966, conquistando o direito de integrar o Legislativo de seu município por mais um quadriênio. Voltou à lide eleitoral, ainda sob a legenda da Aliança Renovadora Nacional, por ocasião das eleições disputadas em 15/11/1970, quando mais uma vez foi reeleito. Batalhador incansável e de visão ampla, integrou as comissões emancipacionistas que se formaram para a criação de dois novos municípios, ambas vitoriosas e responsáveis pela criação de Antônio Carlos e Governador Celso Ramos. Na Câmara Municipal colaborou na feitura do projeto que culminou na abertura da estrada que liga Tijuquinhas a Sorocaba e também a de Tijuquinhas e Areias.


 

Ana Maria Leal Mendes

Legislatura 1970-1973

 

 

 

Filha de Vidal Mendes e de Ana de Sousa Leal Mendes, nasceu em 24 de outubro de 1937, em Florianópolis. Fez seu estudo primário no Grupo Escolar José Brasilício, em Biguaçu, onde morou por muitos anos. O ginásio, ela fez no Colégio Santos Anjos, em Joinville; Técnico em Contabilidade na Academia de Comércio, em Florianópolis; Administração do Lar, na Universidade Rural de Viçosa, em Minas Gerais. Estudou ballet na Escola de Ballet de Albertina Ganzo em Florianópolis, onde também completou o Curso de Direito na Universidade Federal de Santa Catarina. Trabalhou por alguns anos na fábrica de bebidas de seu pai em Biguaçu. Trabalhou, ainda, na Cotesc (Companhia Telefônica de Santa Catarina). Em 1970 foi eleita vereadora para a Câmara Municipal de Biguaçu, onde exerceu o cargo de Secretária da Mesa. Desligou-se de sua função, como vereadora, em maio de 1973, para assumir o cargo de Juíza Substituta na Comarca de Indaial, após ser aprovada em concurso para tanto. Como Juíza Substituta atuou ainda nas Comarcas de Timbó e Ibirama. Promovida para a Comarca de Taió, em 1ª entrância, depois para Turvo, em 2ª entrância; Campos Novos, 3ª entrância, e finalmente, Brusque, 4ª entrância, hoje entrância especial, onde se aposentou, em maio de 1989. Durante o período em que exerceu o cargo de Juíza de Direito, presidiu, como Juíza Eleitoral, diversas eleições nas Comarcas onde atuou. Atualmente mora na cidade de Curitiba, com seu filho, nora e neto.


 

Hercílio Manoel Marcelino

Legislatura 1970-1973

 

Conhecido por Cabinho, nasceu no dia 18/03/28. Filho de Manoel Marcelino Martins e Clementina Francisca de Jesus, bairro Fazenda, município de Biguaçu. Estudou na Escola Estadual da Fazenda fez vários cursos, inclusive Teologia para Leigos. Aos 19 anos, serviu ao exército, na cidade do Rio de Janeiro, na Escola de Artilharia, em Deodoro, deu baixa em 07/12/1948. Em Biguaçu, trabalhou na agricultura familiar. Em 1949, trabalhou de Fiscal geral no Serviço Nacional de Malária, no Sul do Estado. Em 1953, foi para Curitiba, trabalhou na Cia Telefônica do Paraná. Em 1954, voltou a Biguaçu, casou-se com Neli Luiza Marcelino e tiveram 05 filhos: Carlos Renato, Mário Reinaldo, Maria Neuza, Rose Terezinha e Jair Rogério Marcelino, e 08 netos. Em 1959, na Prefeitura de Ituporanga, foi auxiliar de escritório. Em 1960, ingressou na ALESC, aposentando-se em 28/01/1981, colaborou com a criação da AFIPOLESC. Atuante onde morava, ajudou a fundar a Igreja Bom Jesus na fazenda, colaborou na matriz São João Evangelista. Na década de 70, mudou-se para Barreiros/SJ, onde presidiu a APP da Escola Wanderlei Júnior, e colaborou na Matriz Sagrado Corações. No final da década de 70, mudou-se para Florianópolis colaborando na Catedral Metropolitana e filiou-se na Irmandade do Senhor Bom Jesus dos Passos. No bairro Abraão, ajudou as igrejas Bom Jesus e Nossa Senhora dos Navegantes, no Bom Abrigo, bairro onde reside atualmente. Atuou de forma efetiva na política, iniciando no PSD, UDN, PSP, ARENA, PDS,PFL e DEM. Filiou-se a ARENA, candidatou-se a vereador em Biguaçu, elegendo-se 1º Suplente, assumiu várias vezes no período de 1967/1970, candidatou-se novamente elegendo-se quarto vereador mais votado, nos anos de 70 a 73. Na Câmara de vereadores exerceu as funções: Secretário da Mesa, Vice-Presidente, e presidente interino. Foi autor de diversos projetos.


 

Pedro Paulo dos Santos

Legislatura 1970-1973

 

 

Nascido em 27 de outubro de 1946, em Canto dos Ganchos, município de Governador Celso Ramos/SC. Filiação: Miguel Pedro dos Santos e Célia Lisboa dos Santos. Estado civil: foi casado com Marilene Bunn, com quem teve os filhos: Guilherme Bunn Santos, Gabriela Bunn Santos e Geórgia Bunn Santos; atualmente convive em união estável com Ivânia Silva Rita. Escolaridade: Ensino Fundamental em Canto dos Ganchos; Ginasial em Biguaçu; Técnico em Contabilidade Escola Técnica Senna Pereira – Estreito, e Bacharel em Direito pela UFSC. Atividades profissionais: Oficial do Registro Civil, Servidor Público Estadual aposentado e Advogado. Atividades Comunitárias: Presidente e membro da Diretoria da SR. 17 de Maio em várias gestões; membro da Diretoria do BAC, membro da diretoria da Ação Social São João Evangelista como secretário; Fundador da União das Associações Comunitárias; Defensor Dativo da LICOB; Membro da Academia Biguaçuense de Letras. Atividades Políticas: Desde jovem envolvido na política, auxiliando seu pai Miguel Pedro dos Santos (Miguel Flor), quando Vereador em Biguaçu, e posteriormente como Prefeito de Governador Celso Ramos; Membro dos Diretórios e das Executivas da ARENA, como Secretário; do PDS, PPR e PP como Presidente Secretário; Membro da Executiva Provisória do PDS; Candidato a Vice-Prefeito. Vereador na Legislatura

 


 

Sérgio Locks

Legislatura 1970-1973

 

Nasceu em Bom Retiro, no dia 20/09/1941, filho de Lauro Locks e de Tabita Schlickmann Locks. Foi casado, em primeiras núpcias, com Márcia Viríssimo de Faria, com quem teve dois filhos: Simone e Paulo Sérgio. Em segundas núpcias,casou-se com Zilá dos Santos Locks, de cuja união nasceram duas filhas: Tabita e Mariá.  Faleceu em Florianópolis, no dia 13/01/2011. Escolaridade e Atuação profissional: Completou o primário no G. E. Dom Joaquim D. de Oliveira, em Braço do Norte. Fez o Curso Fundamental no Seminário S. José, em Rio Negrinho/SC e no Seminário SCJ, em Corupá/SC, e o Ensino Médio no Instituto Estadual de Educação Dias Velho, em Florianópolis/SC. Começou sua vida profissional como Prof. de Educação Física. Foi admitido no Instituto Brasileiro de Reforma Agrária – IBRA, oportunidade em que participou do cadastramento das propriedades rurais catarinenses. Completou o Curso de Direito pela UFSC, sendo admitido como Procurador Jurídico daquela Autarquia, exercendo essa função até sua aposentadoria, quando se estabeleceu com um escritório de advocacia, dedicando-se ao ramo do Direito do Trabalho nas comarcas de Florianópolis, S. José, Palhoça e Biguaçu. Seu escritório notabilizou-se pela prestação de serviços de advocacia dativa, atendendo, principalmente, os mais humildes, sem condições financeiras para suportar o custo dos processos judiciais. Atuação política: Sérgio Locks foi eleito vereador com expressiva votação, pela Aliança Renovadora Nacional - ARENA, nas eleições de 1969. Cumpriu seu mandato na época em que essa atividade não era remunerada e dedicou seu trabalho desinteressado e sua inteligência privilegiada em benefício do povo de Biguaçu, buscando ajudar a encontrar soluções para os imensos problemas da comunidade.


 

Legislatura 1973-1976

 

Alberto Manoel da Rocha (Biografia consta na legislatura 1970-1973)

Altamir Westphal

Arlindo Corrêa (Biografia consta na legislatura 1959-1962)

Ivo Silvestre Ferreira

João Dionísio Rodrigues

João José Cardoso

João de Andrade

Joaquim Gonçalves dos Santos

José Alberto da Silva

 

Características da Legislatura:

Eleição: 15/11/1972

Posse: 31/01/1973

Composição de vereadores nesta Legislatura: 09

Presidente:  Joaquim Gonçalves dos Santos 1973-1974

João Dionísio Rodrigues 1975-1976

Suplentes: Lauro Pereira

 

 

Altamir Westphal

Legislatura 1973-1976

 

 

 

Nasceu no dia 03/08/1944, em Braço do Norte, Santa Catarina, filho do casal Rodolfo A. Westphal e Aquilia da Silva Westphal. Em 1967 casou-se com Ivonete Hoffmann Westphal , com quem teve 03 (três) filhos: Adriano, Andréa e Ricardo. Estes filhos deram a ele 5 (cinco) netos: Michel, Júlia, Renato, Luiz Eduardo e João Pedro. Antes de mudar-se para Biguaçu no ano de 1962, morou em Curitibanos por 02 (dois) anos. Em 1963 iniciou sua vida profissional na Farmácia Biguaçu, onde trabalhou por 43 anos. De 1973 a 1977, ocupou uma vaga na Câmara Municipal de Biguaçu como Vereador. Em seu mandato legislativo, teve a oportunidade de aprovar projetos importantes para o Município, como a vinda da INPLAC, Postes Cavan, Mosquiteiros Andorinhas e tantos outros. Em 2013 recebeu o título de Cidadão Biguaçuense.


 

Ivo Silvestre Ferreira

Legislatura 1973-1976

 

 

 

Filho de agricultores, nascido em 1949, na localidade de Santa Catarina, interior de Biguaçu. Estudou na Escola Básica José Brasilício, na Escola Técnica Nereu Ramos, foi aprovado no curso de Direito da UFSC em 1972 e em 1975 na UNIVALI, tendo cursado até o segundo ano. Dos 17 aos 22 anos trabalhou no Sindicato Rural de Biguaçu, no momento em que se elegeu vereador, sendo considerado um dos vereadores mais jovens da história do Município. Foi por cerca de 30 anos o vereador mais votado da história de Biguaçu, com 918 votos. Sendo que na época o universo de votos válidos era, aproximadamente, 4700 eleitores. Durante seu mandato preocupou-se, especialmente, com a melhoria nas condições dos agricultores e desenvolvimento deste setor. Após algumas decepções políticas nunca mais se candidatou a um cargo eletivo. Foi gerente da Cooperativa Agrícola, Trabalhou na Bayer, na Quimbras do Brasil e na BESC S/A Reflorestadora. Foi chefe de gabinete na Assembléia Legislativa por três ocasiões e também na Secretaria de Agricultura do Estado. Entre 1997/2003, foi superintendente estadual da CONAB. Retornou para a iniciativa privada, no entanto, não se afastou de sua participação política, sendo coordenador de inúmeras campanhas municipais e estaduais, conquistando votações expressivas no Município e na Grande Florianópolis. Recentemente foi nomeado Secretário da Casa Civil da Prefeitura de Florianópolis.


 

João Dionísio Rodrigues

Legislatura 1973-1976

 

 

 

Nasceu em Biguaçu no dia 09/10/1944, filho de João Martiniano Rodrigues e Maria Machado Rodrigues, casou-se com Marlene Terezinha Rodrigues, tendo um filho, Marcos Henrique Rodrigues. É avó de três netos Aliny, Estefany e João Marcos. Foi funcionário da Triângulo, trabalhou na Prefeitura de Florianópolis e Funcionário Público do IPESC, onde exerceu cargo de chefia, foi ainda taxista na Praia João Rosa trabalhando em frente a Policlínica. Como taxista ajudava muito as pessoas necessitadas, atendia muito bem ao público em geral. Apaixonado e colaborador do Bigua Futebol Clube, líder atuante na comunidade da Praia João Rosa. Filiou-se na ARENA- Aliança Renovadora Nacional, sendo eleito vereador para o mandato de 1973/1977, tendo sido Presidente da Casa Legislativa entre 1975/1976. Faleceu em Florianópolis no ano de 2001.

 


 

João José Cardoso

Legislatura 1973-1976

 

 

 

Nasceu no dia 06/12/1935, no município de Florianópolis/SC, filho de José Simplício Cardoso e Petronilha Martins Cardoso. Casou-se em 25/01/1958 com Hercília Viríssimo Cardoso, com quem teve 04 filhos: Rita de Cássia Cardoso, Doutel José Cardoso, Telmo José Cardoso e Márcia Cardoso. Foi servidor público estadual, exerceu a função de topógrafo na ERUSC, Secretaria de Estado da Agricultura e posteriormente trabalhou na Secretaria de Estado da Administração, apaixonado pela investigação particular, fez vários cursos, tornando-se Perito em Investigações; outra grande paixão era o rádio amadorismo, chegando a ser titular de estação. Elegeu-se vereador para o mandato de 1973/1976 pelo PDS. Grande liderança comunitária lutou intensamente por melhorias para Biguaçu, veio a falecer em 12/09/2001.

 


 

João de Andrade

Legislatura 1973-1976

 

 

Conhecido popularmente como Janga, nasceu no dia 30/01/1927, natural de Três Riachos, neste município de Biguaçu / SC. Filho de João Victor de Andrade e de Francisca Custódia de Andrade, casou-se com Dilma dos Santos de Andrade e desta união, nasceram sete filhos - João, José, Maria, Lindolfo, Francisca, Catarina e Antônio. Sua vida profissional como agricultor o levou sempre a residir e trabalhar em suas terras, com a família, na localidade de Encruzilhada de Três Riachos, onde tinha plantações de arroz, criação e cuidados com o gado. Muito conhecido e por estar sempre disponível a ajudar, era sempre chamado quando alguém tinha animais doentes ou em trabalho de parto, para fazer os encaminhamentos mais especializados e remédios necessários. Exerceu grande liderança sendo motivado a ingressar na política, como candidato a Vereador nas eleições municipais de 1972, pela ARENA, tendo sido eleito Vereador para a Legislatura de 1973 a 1976, naquela ocasião, sem nenhuma remuneração pela função exercida. Por mais uma ocasião foi candidato a Vereador. Família tradicionalmente religiosa, se empenhava nas atividades da Igreja Católica S. João Batista, estando a frente na administração da Capela por muitos anos, herdando este gosto de seus pais que ajudaram na construção da primeira igrejinha da localidade.  Perseverante Casal Encontrista do Movimento de Irmãos, faleceu com 81 anos de idade no dia 04 de janeiro de 2009.

 


 

Joaquim Gonçalves dos Santos

Legislatura 1973-1976 / 1977-1983

 

O manezinho Joaquim Gonçalves dos Santos nasceu em 27/03/1936, em Florianópolis/SC, mas é morador de Biguaçu. Filho de Martinho Félix dos Santos e Alzira Gonçalves dos Santos, o ex-vereador é casado com Celina Emília da Silva e tem 05 filhos: Rita de Cássia, Luiz Gonzaga, Maria de Fátima, Célio Joaquim e Claudemir. Em sua carreira política pertenceu aos seguintes partidos políticos: Arena (Aliança renovadora Nacional) de 1973/1980; PDS (Partido Democrático Social) de 1980/1985; PMDB (Partido do Movimento Democrático Brasileiro) de 1986/1996. Joaquim foi vereador em Biguaçu por 02 vezes: na oitava legislatura (1973/1977), como segundo legislador mais votado. Nesse período também ocupou a posição de Presidente da Câmara Municipal de Biguaçu, de 1973/1974. Foi vereador na nona legislatura (1977/1980), como sexto vereador mais votado e único reeleito. No período de 1977/1978, foi novamente presidente da Casa Legislativa. No dia 01/08/1980, renunciou o mandato de vereador. Em 1996, concluiu o mestrado em história na UFSC. Aposentou-se em 1985, como auditor fiscal da Fazenda de Santa Catarina. Joaquim ainda foi professor de história no magistério estadual, sendo por 02 vezes diretor geral da C. E. Professora Maria da Glória Veríssimo de Faria, em Biguaçu, até se aposentar em 2002. Foi primeiro diretor da Casa dos Açores, museu etnográfico, no bairro São Miguel, em Biguaçu. Foi membro efetivo, ocupando a cadeira número 03, da Academia de Letras de Biguaçu. Desde 2010 carrega o título de cidadão honorário de Biguaçu. É embaixador da cultura de Biguaçu desde 2012. Já publicou obras na área de história e atualmente escreve uma coluna semanal, intitulada “Nossa história”, no jornal JBFoco. 


 

José Alberto da Silva

Legislatura 1973-1976

 

 

Nasceu em Biguaçu, no dia 22/06/1942, filho de José Manoel da Silva e Albertina Adriano da Silva, viveu toda sua infância e adolescência na Rua 07 de Setembro, sua residência localizava-se à frente do Centro Espírita Fé, Esperança e Caridade. Estudou na Escola Técnica Federal de Santa Catarina, no qual concluiu o curso de alfaiataria. Na continuidade, estudou na antiga Escola Técnica de Comércio “Nereu Ramos”, concluindo curso em técnico em contabilidade. Entre suas atividades profissionais, iniciou no Estado de Santa Catarina no ano de 1975, no Instituto Estadual de Santa Catarina (IPESC), atuando por cerca de 20 anos. Exerceu atividade Legislativa no ano de 1973/1976. José Alberto da Silva faleceu no dia 02/06/1999, deixando sua esposa Neli Marta da Silva e 08 filhos.


 

Legislatura 1977-1983

 

Alvim Anderson da Silva

Désio Muller

Ivo Delagnelo

Joaquim Gonçalves dos Santos (Biografia consta na legislatura 1973-1976)

José Eduardo da Costa

José Elias Rodrigues

Luiz Anderson dos Reis

Militina Ana de Oliveira

Pedro Manoel Marcelino

 

Características da Legislatura:

Eleição: 15/11/1976

Posse: 01/02/1977

Composição de vereadores nesta Legislatura: 09

Presidente:  Joaquim Gonçalves dos Santos 1977-1978

Luiz Anderson dos Reis 1979-1980

José Elias Rodrigues 1981-1982

Suplentes: João Dionísio Rodrigues

 

 

Désio Müller

Legislatura 1977-1983

 

Filho de Avelino Müller, ex-prefeito de Biguaçu, e Cecília Zimmermann Müller, nasceu em Antônio Carlos/SC, no dia 30/09/1951, e veio com a família para Biguaçu em 1955. É casado com Iracema Siqueira Müller e tem 02 filhas, Cíntia Siqueira Müller e Cecília Siqueira Müller. Iniciou seus estudos na Escola Básica Professor José Brasilício, nesta cidade, onde concluiu o ensino primário. Na mesma escola estudou até o segundo ano letivo do curso ginasial, uma vez que a conclusão do mesmo deu-se no colégio Diocesano, na cidade de Lages, no ano de 1968. No ano de 1970, iniciou o curso técnico em Contabilidade no Colégio Comercial Pio XII, em Florianópolis, concluindo-o em 1972. Possui ainda curso superior incompleto de Administração de Empresas pela UFSC. Em sua vida profissional, passou por diversos órgãos públicos: Departamento Autônomo de Engenharia Sanitária – DAES (Atual Companhia Catarinense de Águas e Saneamento – CASAN), no período de junho de 1970 a abril de 1979; BESCRI, no período de agosto a dezembro de 1979; De dezembro de 1979 até sua aposentadoria em junho de 2010, exerceu suas atividades funcionais na Assembléia Legislativa do Estado de Santa Catarina. Désio Muller foi eleito vereador para o período de 1977/1980, mas por decisão do Tribunal Superior Eleitoral, TSE, o mandato foi prorrogado por mais dois anos, até 1982. No decorrer do referido mandato eletivo ocupou a presidência da Comissão de Finanças e Orçamentos da Câmara Municipal de Biguaçu. Na sua vida político-partidária, foi membro do diretório da Aliança Renovadora Nacional – ARENA; Membro fundador e do diretório do Partido Democrático Social – PDS; Membro da executiva do Partido Progressista Brasileiro – PPB e, atualmente é membro do Partido Progressista – PP.


 

Ivo Delagnelo

Legislatura 1977-1983 / 1993-1996 / 2001-2004

 

 

Nasceu no dia 01/07/1949, no bairro Sorocaba do Sul, em Biguaçu, filho de João Delagnelo e Paula Sperandio Delagnelo. Vida Estudantil: Primário – Sorocaba do Sul; Ginásio – Seminário Salesiano em Massaranduba – Rio dos Cedos, Ascurra e Tijucas; Ensino Médio – Biguaçu e São João Batista. Superior – Florianópolis, UDESC- Educação Física. Vida Profissional: Atuou como professor em: Itapema, Porto Belo, Tijucas, Sorocaba do Sul, Centro Biguaçu e Encrizulhada de Três Riachos. Ocupou o cargo de Secretário Municipal de Educação, Supervisor Local de Educação, foi responsável pelas Escolas Municipalizadas e Diretor de Escola Básica.

 


 

José Eduardo da Costa

Legislatura 1977-1983

 

 

 

Nasceu em 07/03/1936, no bairro São Miguel, em Biguaçu/SC, filho de Eduardo Daniel da Costa e Maria Guilhermina da Costa, é casado com Naide de Lara Costa, com quem teve 07 filhos: Eduardo, Elisa, Iara, Ricardo, John Kennedy, Robert Kennedy e Tatiana. Atividades profissionais: operário, escriturário, servidor público estadual, e atualmente aposentado. Atividades Comunitárias: Presidente do Biguaçu Atlético Clube, membro da Diretoria da SR “17 de maio”, membro da Diretoria da Ação Social São João Evangelista. Atividades Políticas: Membro do Diretório e da Executiva da ARENA; do PSD; Vereador e Secretário da Câmara Municipal de Biguaçu na Legislatura de 1977/1983, Vice-Prefeito, Secretário de Obras e Prefeito Municipal de Biguaçu, em cuja gestão foi realizado o 1º concurso para preenchimento de cargos na Prefeitura, inaugurando o mini-hospital da Praia João Rosa; o terminal da PETROBRAS; a Creche Dona Lili, em Tijuquinhas; liderou a comissão para aquisição do terreno destinado a construção do Fórum da Comarca de Biguaçu; sua gestão frente a prefeitura foi totalmente voltada para a área de saúde, com a implantação do Odontomóvel; Unidade Móvel de atendimento de emergência, e distribuição de medicamentos. 


 

José Elias Rodrigues

Legislatura 1977-1983

 

Nasceu no dia 11/03/1951, no Distrito de Antônio Carlos, em Biguaçu/SC, filho de Belarmina C. Rodrigues e Elias Pedro Rodrigues, casado com Dalva Maria Borba Rodrigues e pai de Rodrigo Borba Rodrigues e Roberta Borba Rodrigues. Escolaridade: Primário — na Escola Isolada de Alto Limeira, Biguaçu e no Grupo Escolar Altamiro Guimarães, de Antônio Carlos/SC. 1º Grau — Ginásio - Grupo Escolar José Brasilício e Colégio Estadual Profª Maria da Glória V. de Faria, Biguaçu/SC. 2º Grau — Técnico em Contabilidade - Colégio Comercial Pio XII, Estreito – Florianópolis SC. Superior — Bacharel em Ciências Sociais – UFSC – Trindade – Florianópolis/SC. Atividades políticas: Vereador eleito – 1976/1982, Secretário da Câmara – 1977/1978, Vice-Presidente da Câmara – 1979/1980 e Presidente da Câmara de Vereadores – 1981/1982. Atividades profissionais: Auxiliar de escritório – Cia Florestal de Santa Catarina, Ind. e Com. de Madeiras e Pesca – Estreito – Florianópolis/SC, 1970/1971. Escriturário – Banco Brasileiro de Desconto S.A. – 1971/1975. Oficial de Gabinete do Presidente do Instituto de Previdência do Estado de Santa Catarina - IPESC de 1975/1978. Depois ocupou outros cargos e aposentou-se na mesma Autarquia no dia 09/09/2008, na função de Analista Técnico em Gestão Previdenciária. Atividades comunitárias: Diretor da Sociedade Recreativa “17 de maio” – 1976/1977, Presidente do Corintians F.C. de Três - Riachos – 1982/1983 e Presidente do Biguaçu Atlético Clube – BAC – 1992/1993. Autor dos livros: BAC 50 anos – 2005 (história do Biguaçu Atlético Clube, Clube esportivo de Biguaçu SC), NOSTALGIA – Causos & fatos – 2009 (Crônicas), O Homem do crack – 2010 (romance), O Pedido – 2012 (Crônicas), O Zumbido & outras narrativas – 2013 (Crônicas) e Badia – 2015 (romance).


 

Luiz Anderson dos Reis

Legislatura 1977-1983 / 1983-1988

 

Nasceu em Palhoça/SC, no dia 14/10/1939, filho de Manoel Joaquim Madeira dos Reis e de Julieta Anderson dos Reis. Ele, natural de São Miguel e ela de Tijuquinhas, ambos de Biguaçu. Teve 05 irmãos do 1º casamento de seu pai: Guilma dos Reis Amorim, Wilma Maria Vieira, Manoel Anderson dos Reis (falecido), Augusto Anderson do Reis, e José Anderson dos Reis (falecido). Aos 12 anos de idade, sua mãe faleceu e seu pai casou-se com Ruth Faria dos Reis, tendo mais 04 filhos: Ruth Cecília dos Reis, José, Joel e Jonas Costa dos Reis. Aos 27 anos, casou-se com Maria Helena dos Reis, filha de Bento e de Genézia dos Santos e tiveram 02 filhos: Luís Cláudio dos Reis e Simone dos Reis. Ele casado com Gilmara Hilda Lisboa dos Reis e ela casada com João José Morfim Neto. Possui 03 netos: João Pedro, João Vitor e Ana Beatriz. Luiz Anderson dos Reis reside em Biguaçu desde os 05 anos de idade, cursou o Primário no Grupo Escolar José Brasilício; o Ginásio e a formação para o magistério no Instituto Estadual de Educação. Já casado, cursou Pedagogia na UDESC e Pós em Planejamento e Administração de Sistemas Educacionais na FGV – RJ. Em 1960, iniciou sua carreira de educador, dando aulas no Grupo Escolar Teresa Ramos, em  Corupá-SC. Na vida profissional, foi, ainda, Diretor de Grupo Escolar em Massaranduba-SC; Auxiliar de Inspetor Escolar; Professor de Ensino Fundamental, Médio e Superior (Faculdade de Educação da UDESC); Diretor de Ensino Superior e Profissionalizante da Secretaria de Estado da Educação; 16 anos membro efetivo do Conselho Estadual de Educação de Santa Catarina, dois dos quais como Secretário da Mesa Diretora e 02 anos Presidente daquele Colegiado; Secretário Adjunto e Secretário de Estado da Cultura, Esporte e Turismo de Santa Catarina. Foi Vereador no período de 1977 a 1988, dois dos quais, 1979 a 1980, Presidente da Câmara.


 

Militina Ana de Oliveira

Legislatura 1977-1983

 

 

Natural de Biguaçu, nasceu no dia 14/09/1921, filha de Manoel Vicente de Oliveira e Ana Júlia de Oliveira. Consolidou-se como uma grande liderança política no bairro Alto Biguaçu, onde suas ações comunitárias e sociais em prol dos moradores da região garantiram sua eleição como vereadora para o período legislativo de 1977 a 1983. No dia 01/02/1977, aos 54 anos de idade, por ser a vereadora mais idosa, teve a honra de conduzir os trabalhos da mesa legislativa dando posse ao prefeito municipal João Brasil de Azevedo. Após intenso trabalho comunitário, faleceu em 05/08/1988, em Biguaçu. Sua liderança é reconhecida até hoje no bairro onde viveu.

 


 

Pedro Manoel Marcelino

Legislatura 1977-1983

 

 

Nasceu em Biguaçu no dia 30/06/1940 e faleceu no dia 21/06/2009. Trabalhou e foi criado no Bairro da Fazenda de Dentro e se estabilizou na cidade de Biguaçu como comerciante, onde casou-se com Maria Marta da Silva Marcelino e teve seis filhos. Sempre ajudou a comunidade da Fazenda de Dentro, na construção da igreja e outras benfeitorias para a comunidade. No ano de 1977, foi eleito como vereador de Biguaçu, obtendo 228 votos preferenciais, dentre 1285 votos computados para a respectiva legenda, num total de 6.672 votos apurados nas eleições de 1976, conforme o diploma eleitoral. Durante este período que foi vereador, foi construída a Prefeitura Municipal de Biguaçu. Sua família e parentes residem hoje na Cidade de Biguaçu.


 

Legislatura 1983-1988

 

Aclici João de Campos

Carlos Tadeu Sodré

Daniel José Sperandio (Biografia consta na legislatura 1967-1970)

Domingos Moresco Júnior

Édio Braz da Rocha

Lealdo Teófilo Machado

Luiz Anderson dos Reis (Biografia consta na legislatura 1977-1983)

Natau Régis

Pedro Joaquim Cardoso

Sadi Peixoto

Silas Manoel Mendes

 

Características da Legislatura:

Eleição: 15/11/1982

Posse: 01/02/1983

Composição de vereadores nesta Legislatura: 11

Presidente: Carlos Tadeu Sodré 1983-1984

Pedro Joaquim Cardoso 1985-1986

Sadi Peixoto 1987-1988

Suplentes: Odorico Orsi

 

 

Aclici João de Campos

Legislatura 1983-1988 / 1989-1992 / 1993-1996 / 1997-2000 / 2001-2004 / 2005-2008

 

 

Nasceu no dia 17/11/1937, no bairro Três Riachos em Biguaçu, filho de Manoel de Campos e Maria Manoela de Campos. Casou-se com Eloazia Zulmira de Campos. Dessa união adveio o nascimento de 01 filha: Janaína de Campos Coutinho. Servidor público estadual aposentado, em sua carreira profissional o ex-vereador desempenhou as atividades de agricultor e motorista. Entre as atividades comunitárias desempenhas em prol da população biguaçuense, estão o cargo de presidente dos CAEPS da Capela da Limeira e da Matriz; a pró-construção da Capela Santa Clara, no bairro Vendaval; o voluntariado no Asilo de Idosos Osvaldo Alípio da Silva; a fundação da APAE; a presidência do Limeira e do BAC; a direção do Vendaval Futebol Clube e da Rádio Biguaçu. Em sua atuação política no município, destacam-se as seis legislaturas em que Aclici foi vereador do município (1983-1988/1989-1992/1993-1996/1997-2000/2001-2004/2005-2008) e a suplência de vereador em outras legislaturas. O ex-vereador também ocupou outras posições de destaque como membro do diretório e da executiva do Partido Progressista; presidente da Câmara Municipal de Biguaçu, em cuja gestão foi aprovado o 1º plano Diretor da Cidade; Secretário de Obras e Pesca do município e o cargo atual de diretor de Atendimento ao Cidadão de Biguaçu.


 

Carlos Tadeu Sodré

Legislatura 1983-1988 / 1989-1992

 

Nasceu em São Joaquim-SC em 14/12/1946, casado com Maria da Graça Sodré, pai de José Francisco Sodré, Carlos Tadeu Sodré Júnior, Carla Bianca Sodré (casada com o engº  Maurílio R. Ferrari), Débora Eliza Sodré Bragaglia (casada com o juiz Marcio U. Bragaglia) e Marília Gabriela Sodré, avô de Enzo Bragaglia e Pietra Bragaglia. Mora em Biguaçu desde julho/1971. Cursou 1º e 2º graus em São Joaquim e Direito na UFSC. Foi aprendiz de sapateiro e alfaiate, auxiliar de escritório e bancário (INCO, BRADESCO, BANESTADO e ITAÚ). Atualmente é advogado. Foi presidente do Grêmio Estudantil Joaquim Assis da Rosa e secretário da União dos Estudantes Secundaristas, em São Joaquim; Vice-presidente de Relações Públicas do CEB-UFSC, Diretor do Sindicato dos bancários de Florianópolis e região, Diretor da Federação dos Bancários de SC. Foi filiado à ARENA, ao PDS, ao PPR, ao PPB, ao PP e atualmente ao DEM. Foi Vereador de São Joaquim em 1970 e em Biguaçu na 9ª e 10ª legislaturas: 1983-1988 (presidente e 1° secretário), 1989-1992 (1° secretário e presidente). Na elaboração da Lei Orgânica Municipal foi Relator da Comissão de Sistematização e Presidente da Comissão Temática que tratou dos Princípios Fundamentais e da Organização Municipal e Micro Regional. Foi membro da AJOFUSA-Associação Joaquinense de Futebol de Salão, Secretário e Presidente do Biguá Futebol Clube, Presidente da APP da Escola Básica Prof. José Basilício, Membro do Conselho Comunitário de Biguaçu e núcleo comunitário da Praia João Rosa, Tesoureiro do CAEP da Capela Nossa Senhora dos Navegantes. Recebeu o título de Cidadão Biguaçuense por indicação do vereador Edevaldo Ernesto Ferreira. Foi Tesoureiro e Presidente da Subseção da OAB de Biguaçu, de quem recebeu, em 12/2009, homenagem em agradecimento por serviços prestados. Foi membro do Rotary de Biguaçu.


 

Domingos Moresco Júnior

Legislatura 1983-1988 / 1989-1992

 

 

Nasceu no dia 08/04/41, em Tijucas, filho de Domingos Moresco e Andiaria Moresco, casou-se com Helena Moresco em 14/09/1963 e teve 07 filhos: Marina, Denilson (falecido), Maurilia, Marcos, Marcelo (falecido), Junior e Marilis e 07 netos. Moresco, como era carinhosamente conhecido, foi agricultor até seus 21 anos. Casado, foi morar em Pinheiral onde foi instrutor agrícola na Empresa Souza Cruz até 1970. Após desligar-se da empresa, voltou para Tijucas e trabalhou no comércio. Em 1976, a convite do Pe. Monte Negro começou a trabalhar na CEREJ, em Biguaçu, tornando-se gerente, foi eleito presidente desta cooperativa que atende comunidades rurais do nosso município, colocando energia elétrica, no período de 1985/1998. Em 1981, começou um trabalho social no bairro Fundos e fundou o time Juventos F.C.,  participando de vários campeonatos, sendo campeão em 1993 pelo Estadual e em 1996 e 2000 pelo Municipal. Por seu forte trabalho feito junto à cooperativa, foi convidado a ingressar na vida política, candidatando-se a vereador em 1982, eleito com 493 votos, sendo o mais votado. Reeleito em 1988, com 427, 3º vereador mais votado. Presidiu a Câmara de Vereadores no ano 1991/1992. Em 1990, criou a empresa Eletro Junior, ramo de transformadores, gerando empregos dentro do município.Em 2004, tornou-se cidadão biguaçuense, recebendo a medalha de Cidadão Honorário, homenageado pelo Vereador Edvaldo. Como vereador, desenvolveu um excelente trabalho no município, tempos depois tornou-se Secretário de Obras, em 2009/2010, também trabalhou em outros setores da administração pública, não mediu esforços para o trabalho, contribuindo sempre para uma Biguaçu melhor. Moresco desligou-se das atividades profissionais em 2012, dedicando-se a família, veio a falecer no dia 23/03/2014.


 

Édio Braz da Rocha

Legislatura 1983-1988

 

 

 

Nasceu em Biguaçu/SC, filho de Estefano Braz da Rocha e Maria Julieta da Rocha, casado com Leonila Maria Souza da Rocha e pai de Evelyn, Emeliny e Emeliane (in memorian). Foi vereador por Biguaçu no período de 1983/1988, sendo o mais votado do PMDB. Foi presidente do PMDB e da juventude do PMDB. Sua primeira militância foi no MDB, foi também um dos fundadores do PMDB de Biguaçu, sendo tesoureiro do partido. Militante peemidebista comprometido com a luta pela democracia e pelas diretas já. Sempre presente nas manifestações e nos comícios pelas eleições diretas, onde teve o privilégio de subir nos palanques eleitorais e falar com Ulysses Guimarães, Tancredo Neves, Brizola e outros políticos influentes quando suas passagens eram por Santa Catarina. SINTO ORGULHO DE TER SIDO VEREADOR POR BIGUAÇU, TERRA MARAVILHOSA!!!


 

Lealdo Teófilo Machado

Legislatura 1983-1988

 

 

 

Nnatural de Biguaçu, nasceu em 17 de maio de 1940. Casou-se com Valdete Rosa Machado, com quem teve dois filhos, Ieda Valdete Machado Souza e Egídio Lealdo Machado. Profissionalmente, dedicou-se ao desenvolvimento da pesca em nosso município, sendo um grande pescador, destacou-se no comércio de pescado. É reconhecido por sua liderança e atuação comunitária principalmente no Bairro Praia João Rosa, estando sempre disposto a colaborar com os membros da comunidade. Em decorrência do trabalho realizado, foi reconhecido e convidado a filiar-se ao Partido da Frente liberal, tendo sido candidato a vereador  no pleito de 1982, tendo logrado êxito . Assumiu para cumprir o mandato de  1983-1988, como vereador lutou por melhorias na pesca e na qualidade de vida e trabalho dos pescadores e da comunidade como um todo. Faleceu em outubro de 1992, aos 52 anos de idade.

 


 

Natau Regis

Legislatura 1983-1988

 

 

Nasceu no bairro de Sorocaba de Dentro, em Biguaçu, no dia 10/10/1953, vindo a falecer no dia 10/03/2015, com 61 anos. Filho de Agenor Quintino Regis e Olga Sperandio Regis, possuía 07 irmãos. Pai prestativo e afetuoso de cinco filhos: Norton Regis, Nuria Regis, Marlise Cunha Regis, Nathalia Anderson Regis e Pedro Augusto Anderson Regis. Trabalhou nas Centrais Elétricas de Santa Catarina (CELESC) como auxiliar administrativo e chefe do escritório de Biguaçu, aposentando-se nesta empresa. Foi vereador de Biguaçu entre 1983/1988, tendo destaque na atuação junto à população, participando ativamente dos Conselhos Comunitários de comunidades mais carentes, auxiliando na distribuição de recursos a estes.  Incentivou o esporte local, destacando-se o apoio ao futebol amador do município. Na vida pessoal, era uma pessoa com muitos amigos e gostava de estar junto a eles, seja no seu sítio, em sua casa ou em rodas de conversa. Manteve seu caráter voluntarioso auxiliando a comunidade com doações. Permaneceu participando na política local no que tange ao apoio político a novos candidatos.


 

Pedro Joaquim Cardoso

Legislatura 1983-1988 / 1989-1992 / 2001-2004

 

Brasileiro, natural de Biguaçu/SC, é casado com Devalme Inês Kretzer Cardoso e é pai de Pedro Cardoso Júnior e Wagner Batista Cardoso. Aos 18 anos incorporou no Exército Brasileiro, concluiu o tempo de serviço militar obrigatório com comportamento exemplar, reconhecido com o agraciamento de medalha de Honra ao Mérito. Em 1977, ingressou na UFSC, no curso de Graduação em Geografia, colou grau em 1982, destacando-se com Certificado de Menção Honrosa e Medalha de Mérito Universitário. Servidor Público Aposentado e Professor de Geografia Econômica, exerceu quatro mandatos eletivos no município, período durante o qual, como vereador, assumiu os cargos de presidente, primeiro secretário e em 1989 presidiu a Assembleia Municipal Constituinte, quando foi reescrita a Lei Orgânica Municipal. No seu primeiro mandato, graças ao seu empenho, exigiu o cumprimento do dispositivo constitucional que prevê o repasse do duodécimo para a Câmara de Vereadores até o vigésimo quinto dia útil de cada mês, a Câmara de Vereadores e os seus integrantes adquiriram autonomia financeira, dando aos vereadores poderes para agir efetivamente com mais independência. Como Vereador, sempre foi fiel ao seu slogan de campanha “Por uma Melhor Justiça Social”. Seu trabalho sempre foi voltado às causas socais com atenção especial às famílias de baixa renda situadas nos bairros periféricos da cidade. Como Vice-Prefeito exerceu os cargos de Secretário Municipal de Obras e Serviços Públicos, Secretário de Educação, Cultura, Esporte, Turismo e Laser, bem como interinamente, o cargo de Prefeito Municipal. Recentemente exerceu os cargos de Secretário Municipal de Integração Regional e Superintendente da Fundação Municipal de Meio Ambiente. Atualmente ocupa o cargo de Secretário Municipal de Cultura, Esporte, Turismo e Laser.


 

Sadi Peixoto

Legislatura 1983-1988 / 1989-1992

 

 

Nasceu em Biguaçu no dia 24/03/1946, filho de Paulo Rufina Peixoto e Geraldina Lucinda Peixoto. Em 1972 casou-se com Silvia Mello Peixoto e juntos tiveram três filhos: Sadi Mello Peixoto, Sarita Mello Peixoto e Sidnei Mello Peixoto. Ingressou na política em 1982 e foi eleito vereador (1982 /1988). Foi reeleito em 1988, onde foi presidente da Câmara de Vereadores de Biguaçu. No ano de 1992 foi eleito Prefeito Municipal no mandato 1993/1996. Atualmente é suplente de Vereador.


 

Silas Manoel Mendes

Legislatura 1983-1988 / 2001-2004

 

 

Brasileiro, nasceu no dia 20/03/1952, tem 63 anos de idade, natural do bairro Três Riachos, em Biguaçu, casado com Rosângela Andrade Mendes, pai de Ariel, Jocinede e Lucieny. Filho de agricultor, atividade que também exerceu até os 25 anos de idade. Morador de Três Riachos, interior de Biguaçu, sempre comprometido com atividades comunitárias, esportivas, culturais e religiosas, atendendo aos apelos da própria comunidade. Em 1982, com 30 anos de idade, se candidatou a vereador, elegendo-se por um mandato de seis anos. Retornou em 1998, na condição de suplente de vereador, assumindo novamente uma cadeira na Câmara de Vereadores, se reelegendo para mais um mandato de 2001 a 2004. Como agricultor, morador de área rural, seus quase 12 anos de mandato foram sempre dedicados as melhorias das condições de vida e trabalho dos moradores do interior de Biguaçu, em especial dos agricultores e trabalhadores rurais. Embora representante da área rural, exerceu seu período de vereança sempre com muito zelo, transparência, dedicação e defesa dos reais interesses da população. Biguaçuense como um todo.


 

Legislatura 1989-1992

 

Aclici João de Campos (Biografia consta na legislatura 1983-1988)

Carlos Tadeu Sodré (Biografia consta na legislatura 1983-1988)

Claudionor Silveira

David Correia

Domingos Moresco Júnior (Biografia consta na legislatura 1983-1988)

Edevaldo Ernesto Ferreira

José Braz da Silveira

Luiz Carlos da Rocha

Nagibo Müller

Pedro Joaquim Cardoso (Biografia consta na legislatura 1983-1988)

Sadi Peixoto (Biografia consta na legislatura 1983-1988)

 

Características da Legislatura:

Eleição: 15/11/1988

Posse: 01/01/1989

Composição de vereadores nesta Legislatura: 11

Presidente:  Nagib Muller 1989-1990

Domingos Moresco Junior 1991-1992

Suplentes: Mauri Jovelino Albano da Silva

 

 

Claudionor Silveira

Legislatura 1989-1992

 

 

Com o passar dos anos, o passado volta, e eu, ainda digo: feliz é o homem que viveu no passado com dignidade nessa existência que é a vida. Fui eleito vereador nessa cidade tão linda que é o nosso Biguaçu, cumpri o mandato nos anos de: 1988-1991. Neste período me realizei satisfazendo os anseios dos moradores do pedregal, hoje Rua Ismar Pedro Bens, um esgoto de 400 metros, conseguindo junto ao prefeito municipal na época, José Eduardo da Costa, daí pra frente, iluminação pública, postos de saúde, tive participação da vinda da Univali, implantação de linhas de ônibus,etc. Trabalhei na Malaria, no INCRA, ERUSC e na CIDASC. Hoje aprendi a lição: o tempo passa e o caráter permanece, bom ou mau.


 

David Correia

Legislatura 1989-1992

 

 

Nasceu na comunidade de Sorocaba, município de Biguaçu, no dia 07 de Abril de 1950. Filho de Manoel Correia e de Dedicia Reis Marcelino Correia. Possui três filhos, Jânio David Correia, Julian Correia e Quésia Correia. Está casado com Cleusa Leonina Darosci. Atualmente aposentando, foi servidor público estadual desempenhando a função de motorista na FUCABEM por 11 anos,  foi também servidor público da Prefeitura Municipal de Biguaçu por 25 anos, exercendo também, o cargo de motorista. Devido a seu carisma e sua liderança comunitária foi convidado a se filiar ao PDS, onde militou ativamente. Tendo seu trabalho reconhecido pelo partido foi convidado a disputar uma vaga para a Câmara de Vereadores no pleito de 1988, tendo sido eleito. Assumiu o cargo de vereador para o  mandato  1989-1992, durante seu mandato buscou dar  ao Prefeito as condições necessárias para o desenvolvimento da cidade.

 


 

Edevaldo Ernesto Ferreira

Legislatura 1989-1992 / 2001-2004

 

 

Nasceu no dia 22/11/1949, em Biguaçu, filho de Ernesto José Ferreira e Ana Maria Ferreira, naturais deste município, casado com Ione Krauss desde 1984, possui 03 filhas e 02 enteados. Formou-se em técnico de contabilidade pela Escola Técnica de Florianópolis. Iniciou sua carreira de trabalho como vendedor de livros e em seguida começou a trabalhar no Hospital Celso Ramos como auxiliar de serviços gerais, sendo promovido nos próximos anos a atendente de farmácia. Em 1976, foi nomeado servidor público do IPESC, no cargo de agente administrativo, obtendo promoções ao longo da carreira até aposentar-se como gerente de recursos humanos no ano de 2009. Sua vida política foi ilustrada com dois mandatos no parlamento Biguaçuense, de 1987/1992, pelo Partido Progressista (PP) e no período de 2001/2004, pelo Partido Social da Democracia Brasileira (PSDB). Mesmo após encerrar sua trajetória como vereador continuou fazendo parte da executiva do PSDB até hoje. Continuou a auxiliar e ajudar as pessoas, conhecido como um homem generoso costumava levar enfermos aos hospitais da grande Florianópolis, sempre gostou de ajudar o próximo e participou de diversos projetos sociais. Foi presidente da APP do Colégio Alexandre Sérgio Godinho, entre outros. Edevaldo sempre teve como diferencial em sua trajetória política a ética e o respeito ao ser humano. Tem inúmeros projetos de leis aprovados, entre eles o que criou o Programa de Planejamento Familiar em 2003. Também possuem várias indicativas de denominação de ruas e calçamentos. Edevaldo Ernesto Ferreira, ainda reside em Biguaçu e é visto como uma pessoa de boa índole e generosa, sempre se sentiu satisfeito em poder ajudar as pessoas. Seu lema político é trabalho e honestidade.


 

José Braz da Silveira

Legislatura 1989-1992 / 1993-1996 / 2009-2012 / 2013-2016

 

 

O VereadorJosé Braz da SilveiraPSDB,iniciou a sua trajetória política no movimento jovem do seu partido, em 1984, motivado pela campanha das “Diretas já”, que participou ativamente. Mas a sua primeira ação política foi em 1972 quando enviou uma carta ao radialista Souza Miranda criticando a ditadura militar instalada no Brasil e reivindicando atenção e respeito do Governo Central aos Municípios. O gesto provocou reações fortes nos meios políticos da época e só não resultou em represálias por se tratar de um menino de 12 anos. A primeira eleição que José Braz disputou foi em 1988, quando se elegeu Vereador. Em 1992 foi reeleito e em 1994 disputou a eleição para Deputado Estadual. Em 1996 foi candidato a Vice-Prefeito e em 1998, novamente, a Deputado Estadual. Depois de um afastamento estratégico de 10 anos da vida pública, José Braz voltou a ser candidato a Vereador em 2008, quando se elegeu para o seu terceiro mandato. Em 2012, concorreu à reeleição e conquistou o seu quarto mandato de Vereador pelo PSDB. José Braz da Silveira é reconhecido como um Vereador de bons projetos e de grandes lutas. Autor do projeto de lei que implantou o Orçamento Participativo em Biguaçu, a Lei da Sustentabilidade, a Criação da Câmara Mirim e do Parlamento Jovem, as Sete Maravilhas de Biguaçu, o Programa Educação Cidadã e o Movimento Solidariedade do Brasil, José Braz é, sem dúvida alguma, um Vereador de resultados em benefício da nossa gente. Preocupado em trabalhar em sintonia com o “pulsar das ruas”, o Vereador Braz criou um grupo de trabalho constituído de pessoas comprometidas com Biguaçu. Com essa equipe vem colocando em prática um plano de atuação inovador e com perspectivas de grandes resultados para a comunidade. O plano se alicerça no trinômio Ouvir, Planejar e Agir.

 

 

Luiz Carlos da Rocha

Legislatura 1989-1992 / 1993-1996 / 1997-2000 / 2001-2004 / 2005-2008

 

 

Conhecido como Carlito,  nasceu no dia 24/04/1955, no bairro Sorocaba do Sul, em Biguaçu/SC. Estado civil: casado com Maria Auta da Rocha. Filhos: 03: Márcio, Marcelo e Maycon. Escolaridade: Ensino Fundamental em Sorocaba e Curso Ginasial em Tijucas. Atividades profissionais: Operário, motorista, autônomo e empresário. Atividades comunitárias: Fundador de Associação de Moradores. Atividades políticas: Ainda jovem filiou-se ao PDS, participou da Juventude Democrática Catarinense, em 1986 filiou-se ao PFL onde foi membro do Diretório, Presidente do Diretório Municipal e Presidente da Executiva. Vereador nas Legislaturas: Vereador pelo PFL de 1989/1992; de 1993/1996; de 1997/2000, filiou-se ao Partido Progressista sendo eleito vereador de 2001/2004 e de 2005/2008. Ao final deste último mandato, por perseguição do seu próprio partido PP, sofreu um golpe, não tendo direito à disputa a eleição, pois não foi aprovado na Convenção de 2008, abandonando assim a política. Durante 20 anos de mandatos consecutivos fez parte de várias entidades, como: Conselho Fiscal da Ass. dos Municípios da Grande Florianópolis; Associação de Bairros; Presidente da Câmara de 1993/1994; Vice-presidente de 2007/2008; Secretário de 1995/1996, Presidente de várias comissões da Câmara e Presidente e Relator de comissões de Inquérito da Câmara.


 

Nagibo Müller

Legislatura 1989-1992 / 1993-1996

 

 

Filho de Leonídio Müller e de Vitalina Junkes, nasceu na localidade de Rio Farias, em Antônio Carlos, no dia 11/04/1951 e desde os 10 anos de idade passou a residir em Biguaçu, no bairro Prado. Casado com Eliane Barcelos Pulcena, o casal possui uma filha chamada Camila. Escolaridade e Atuação Profissional: Completou o ensino primário no G. E. Prof. José Brasilício e concluiu o fundamental no C. E. Profª Mª. Glória V. de Faria, ambos em Biguaçu. Iniciou o ensino Médio no Colégio Comercial Pio XII, no Estreito/Fpolis. Foi proprietário de transportadora em Biguaçu, durante 12 anos, no ramo de transporte rodoviário de cargas, em atividade exclusiva para a INPLAC. Aposentou-se em 2004, como motorista. Atuação Comunitária: O esporte, em especial o futebol, foi uma de suas paixões, sendo um membro atuante na Diretoria da Sociedade Esportiva e Recreativa Pradense por um longo período em vários mandatos. Sua atenção foi fundamental na fundação do Beira Mar Futebol Clube, no bairro Prado de Baixo, sendo seu fundador e primeiro Presidente. Conseguiu a doação de grande área de terra para o campo de futebol e sede do Clube, através do Empresário Jaime Aleixo, do vizinho município de São José. Atuação Política: Foi um dos membros fundadores do Partido da Frente Liberal em Biguaçu, tendo sido membro do Diretório. Sua 1ª candidatura a Vereador ocorreu em 1984. Em 1988, foi eleito Vereador pelo PFL, com 188 votos, ocasião em que foi eleito Presidente da Câmara nos anos de 1989/90. Em 1992, foi novamente eleito Vereador com 335 votos para a Legislatura 1993/1996, continuando seu trabalho em favor da municipalidade e, em especial, de sua comunidade do Prado e bairros adjacentes, numa atuação ilibada em busca de soluções para os problemas de sua comunidade.


 

Legislatura 1993-1996

 

Aclici João de Campos (Biografia consta na legislatura 1983-1988)

Ademir Corrêa

Arno David Corrêa

Bertoldo José da Costa

Dorival Mignoni

Ivo Delagnelo (Biografia consta na legislatura 1977-1983)

José Braz da Silveira (Biografia consta na legislatura 1989-1992)

José Edgar Balcazar Martinez

Luiz Carlos da Rocha (Biografia consta na legislatura 1989-1992)

Mauri Jovelino Albano da Silva

Nagibo Müller (Biografia consta na legislatura 1989-1992)

Ozildo José Prazeres

Vilmar Astrogildo Tuta de Souza

 

Características da Legislatura:

Eleição: 03/10/1992

Posse: 01/01/1993

Composição de vereadores nesta Legislatura: 13

Presidente:  Luiz Carlos da Rocha 1993-1994

Aclici João de Campos 1995-1996

Suplentes: Dionísio José Feltz

 Ivo Valdemiro Mendes

 João Saul da Silva

 Roberto Batista Jerônimo

 

 

Ademir Corrêa

Legislatura 1993-1996 / 1997-2000 / 2005-2008

 

 

Nasceu no dia 07/06/1952, em Papanduva, Santa Catarina, filho do Sr. José Corrêa e Tereza Novack Corrêa. Casou-se com a Sra. Vera Margarete Corrêa, com quem teve 03 filhos: Alexandra Aparecida Machado Corrêa, Mauricéia Grasiele Machado Corrêa e Vinícius Mateus Machado Corrêa. É o filho mais velho de uma família de quinze irmãos, onde o pão de cada dia era repartido igualmente entre todos. Teve formação no nível médio, atuando como empresário no ramo de terraplanagem e loteadora. Cursou Tecnologia em Terraplanagem e Asfalto, na Escola Técnica Federal-SC e Estudo Administrativo Municipal no Tribunal de Contas. Foi vereador por três mandatos: Eleito de 1993 a 1996, de 1997 a 2000, primeiro suplente de 2000 a 2004, Eleito de 2005 a 2008, primeiro suplente de 2009 a 2012 e terceiro suplente de 2012 a 2016. Foi ainda, Presidente da Associação do Bairro Bom Viver em Biguaçu e Patrão do CTG Cela de Prata no período de 2011 a 2013.


 

Arno David Corrêa

Legislatura 1993-1996

 

 

Nasceu no dia 27/06/1938, filho de David Crispim Corrêa e Maria Leal. Foi líder político dos anos 40 a 60 do município de Biguaçu, o qual estimulou a continuidade da veia política da família. Casou-se em 1960 com Maria da Glória Medeiros, moradora da Encruzilhada de Três Riachos. Os dois foram morar em Sorocaba de Dentro, ao lado da casa de seus pais e tiveram três filhos: Denise, Arno e Débora. Como profissão, era motorista de caminhão, sendo o transportador dos produtos negociados por seu pai, como fumo, madeira, banana e farinha. Ele levava as mercadorias produzidas em sua região para Florianópolis, Blumenau e Brusque. Após ser acometido por uma doença oftalmológica, fez-se necessária a sua aposentadoria prematura. Além do trabalho de motorista, Arno, seguindo os passos de seu pai David Corrêa, costumava levar enfermos aos hospitais e pronto atendimentos localizados em Biguaçu, Florianópolis e até mesmo em Santa Amaro da Imperatriz. Nunca cobrou pelas viagens feitas, pois sempre as fez de bom coração, já que a bondade foi herdada de seu pai. Esta ajuda ao “próximo” o motivou a candidatar-se a vereador e elegeu-se como o segundo parlamentar mais bem votado. Exerceu a legislatura de 1993 a 1996 – ano em que seu querido pai falecera – com seriedade e afinco no compromisso de fazer o bem para a sociedade do município de Biguaçu. Arno David Corrêa ainda mora em Sorocaba de Dentro e é um homem ilustre e bondoso, o que faz de sua casa o ponto de parada de quem o conhece e passa em frente, rendendo um “aparadinho” e uma boa conversa.


 

Bertoldo José da Costa

Legislatura 1993-1996

 

 

Natural de Biguaçu, nasceu em 28/11/1928. Morador do bairro Fundos, sempre foi um vereador, na raiz do significado da palavra. Desde a juventude sua empatia com o povo fazia brotar atitudes de vigia pela comunidade. Um homem que prezava pelo coletivo, imprimiu desde cedo o caráter da hombridade e honestidade junto a família. Mas o interesse em particular pela política começou apenas na década de 80. Nessa época Bertoldo já realizava muitos trabalhos em prol da população biguaçuense. Como líder comunitário, pleiteava melhorias principalmente na iluminação pública e pavimentação de ruas do bairro Fundos. Em 1992, Bertoldo conquistou a confiança dos munícipes e foi eleito pela primeira vez vereador de Biguaçu, como legislador mais votado do seu partido – PFL, na época com 428 votos, para cumprir mandato no período de 1993/1996. Aos 65 anos Bertoldo percorria diariamente o município a pé – como sempre o fez, ouvindo as reivindicações dos biguaçuenses. O alvo principal de seu trabalho foi a localidade do bairro Fundos de Biguaçu, localidade em que o legislador morava. Energia elétrica, água e estradas foram alguns dos focos de suas contribuições. Porém, o seguimento que o parlamentar ganhou mais destaque, com direito a reconhecimento da empresa de transporte coletivo, foi ao angariar mais horários de ônibus, uma vez que os moradores sofriam com os itinerários espaçados. No entanto, o vereador ocupou uma cadeira na Câmara Municipal de Biguaçu por apenas 15 meses e 3 dias. Seu legado político foi interrompido por um infarto, que levou o vereador a óbito em 03/04/1994. Bertoldo deixou esposa, dois filhos do segundo casamento, dez filhos do seu primeiro matrimônio e muitas saudades aos que puderam conhecê-lo de perto.


 

Dorival Mignoni

Legislatura 1993-1996 / 1997-2000

 

 

 

Filho de Fiorello Mignoni e Wilma E. Serafim Mignoni, nascido em 14 de abril de 1952, natural de Seara/SC. Casou-se e teve três filhos: Diogo Mignoni, Mabel Mignoni e Franciélly Mignoni. Aos 22 anos (1975) começou a trabalhar no IPREV – Instituto de Previdência do Estado de Santa Catarina, onde permaneceu por 37 (trinta e sete) anos aposentando-se em seguida. No município, foi eleito vereador pela 1ª vez em 1993 à 1996 pelo partido PRN. Sua 2ª legislatura foi no ano de 1997 à 2000 pelo partido do PDS. Em 1997 foi eleito Presidente da Câmara de Vereadores, e no ano de 1998 foi novamente eleito Presidente da Câmara de Vereadores. Sua passagem na política se deve à alguns parentes próximos que também atuaram de forma significativa, representativa e por simplesmente querer ajudar o próximo e o município do qual escolhera para residir. Sua legislatura foi um período de total dedicação aos munícipes desta comarca. Lembra-se, também, ter sido uma época muito difícil para a política, mas, mesmo com todas as dificuldades, sempre procurou atender aos apelos da população em especial os mais carentes. Atuava na política com amor, oferecendo aos munícipes o que estava ao seu alcance. Não media esforços para ajudar à todos sem distinção alguma. Durante o período em que exerceu, viveu para a política, Dorival ajudou, criou, expandiu, melhorou, enfim, contribuiu ao máximo por Biguaçu e seu município com todo o seu esforço, dedicação e carinho.


 

José Edgar Balcazar Martinez

Legislatura 1993-1996

 

 

Nasceu em 07 de julho de 1939, natural de Villazon-Bolívia. Veio de família humilde e batalhadora jamais perdiam as esperanças. Aprendeu  cedo que a vida não é fácil e somente com muito esforço, trabalho e dedicação  sobrevivemos a ela. Conseguiu uma bolsa de estudo através do intercâmbio Brasil-Bolívia. Começou a cursar uma Universidade em outro país com idioma completamente diferente com muitas barreiras e preconceitos, mas como todo guerreiro os obstáculos foram superados, teve garra, raça e venceu, formou-se com louvor e mérito pela Universidade Federal de Medicina do Estado do Paraná. Casou-se com Ivone Vergueiro com quem teve três filhos Edgar Júnior, Soledad e Evelynn e um neto Patrick. Foi clínico geral, fez pós graduação em pediatria e medicina sanitarista. Nunca deixou de estudar sempre se atualizando fazendo cursos e seminários. Naturalizou-se Brasileiro em 18 de maio de 1977, trabalhou na Secretaria de Saúde Pública de Curitiba. Veio para Santa Catarina para trabalhar no município de Anitápolis no Hospital Cristo Redentor, sendo Diretor Clínico e único médico da cidade. Foi chamado para trabalhar no município de Biguaçuno posto de saúde com designação da Secretaria de Saúde do Estado, onde permaneceu por vários anos sempre batalhando por melhorias na saúde.  Foi eleito vereador em 03/10/92 pelo PMDB, mas a convite do Prefeito Sadi Peixoto assumiu o cargo de Secretário Municipal de Saúde, Uma de suas grandes conquistas foia abertura da emergência 24h que na época foi uma grande conquista para o povo de Biguaçu.Dr. Edgar faleceu em 07/01/97.


 

Mauri Jovelino Albano da Silva

Legislatura 1993-1996

 

 

Nasceu no dia 21/03/1945, em Garopaba/SC, é casado com Ivonete Cunha da Silva, possui 04 Filhos: Fernando, Eduardo (in memoriam), Murilo e Ricardo. Atividades profissionais: agricultor, bancário, servidor público municipal e atualmente é aposentado. Atividades Comunitárias: Presidente da Associação dos Moradores de Cachoeiras (durante 10 anos); Presidente do CAEP da Capela de Santo Antônio em Tijuquinhas (durante 6 anos); Presidente do Cachoeira Futebol Clube (Durante 2 anos); Presidente da APP da Escola Estadual Santo Antonio da Cachoeira (durante 04 anos). Atividades Políticas: Membro do Diretório e da Executiva do Partido Progressista. Vereador na legislatura: 1993/1996. Suplente de Vereador na legislatura: 1989/1992 e 1993/1996.


 

Ozildo José Prazeres

Legislatura 1993-1996

 

 

Nasceu em Biguaçu no dia 13/10/1943, filho de Esmeraldino e Georgina Prazeres, é casado com Celina Locks Prazeres, o casal teve três filhos: Andrey, Alicéa e Andréa e seis netos: Yasmin, Leonardo, Caio, Fernando, André e Guilherme. Escolaridade: Freqüentou o Primário no G.E. Prof. José Brasilício em Biguaçu, o Fundamental e Médio no I.E.E., em Florianópolis, o 1º Curso Oficial R/2 no N.P.O.R.- Estreito/Fpolis e o Curso de Prof. de Educação Física. Em 1974, concluiu o Curso de Pedagogia na UDESC e em 1975, concluiu em 1º lugar, o Curso de Direção no Rio de Janeiro. Atuação Profissional: Nomeado em 1965, efetivou-se na E.E.B. Prof. José Brasilício atuando como Prof. Educ. Física, bem como, no C.E. Profª Mª Glória V. de Faria. Reiniciou os desfiles escolares em Biguaçu, incentivou a formação de atletas, ressaltando, a campeã nacional Célia Göedert. Assumiu o cargo de Diretor do Centro de Educação de Menores Infratores, da SESS/SC, foi Superintendente na FUCABEM por 13 anos e retornou à Secretaria de Educação, aposentando-se em 1993. Atuação Política: Militante da UDN, membro dos Diretórios da ARENA/PDS e Tesoureiro das Executivas no período 1974/1978 – 1980/1988. Candidato a Prefeito de Biguaçu pelo PDS, em sub-legenda, nas eleições de 1982, obteve 1.695 votos. Candidato a Vereador nas eleições de 1992, foi eleito com 370 votos, assumindo o mandato de Vereador no período de 1993/1996.  Secretário Municipal de Educação, Cultura, Esporte e Turismo - 01/01/1997 a 31/05/1998, no governo Arlindo Corrêa. Foi atuante e responsável pelas suas funções públicas, com dedicação e empenho em favor dos interesses do município. Na sua gestão, em 1997, foi realizada a 1ª PRAÇA CIDADÃ e GINCANA COMUNITÁRIA.


 

Vilmar Astrogildo Tuta de Souza

Legislatura 1993-1996 / 1997-2000 / 2009-2012

 

 

O “Tuta”, é filho de Astrogildo Armindo de Souza e Maria Nila de Souza, é o segundo de seis irmãos. É pai de Tainassan  e é casado com Ekésia Carmelita de Souza, com quem tem dois filhos, Otávio e Ana Clara. Tuta iniciou sua carreira política, por incentivo de amigos e principalmente sua mãe, que percebia no filho, um grande prazer em ajudar o próximo. Foi vereador, nos mandatos: 1993 a 1996, onde foi o mais votado do PMDB, 1997 a 2000, onde foi novamente o mais votado, de 2001 a 2004, foi prefeito, 2005 a 2008, reeleito. 2009 a 2012 voltou a vereança mais uma vez como o mais bem votado. É Policial Civil, onde exerceu a função de Delegado de Polícia. Tuta sempre se preocupou com os menos favorecidos, atuou de forma a atender a sociedade como um todo, dos recém-nascidos aos idosos, sempre atendendo a população. O Orçamento Participativo, (onde possibilitou a participação direta da população em todas as obras e ações da sua administração), suas ações na educação, na saúde e a recuperação das finanças municipais, são os maiores orgulhos da sua vida pública, entre muitos outros programas sociais e de desenvolvimento que foram executados em suas duas administrações. Como Vereador, atendeu a população incansavelmente em todas as suas reivindicações, além de apresentar vários projetos, indicações e sempre fiscalizando o Executivo Municipal. A política é exercida pelo Tuta, como um sacerdócio em busca incessante pela melhoria da qualidade de vida dos Biguaçuenses, independente de ser detentor de cargo público!


 

Legislatura 1997-2000

 

Aclici João de Campos (Biografia consta na legislatura 1983-1988)

Ademir Corrêa (Biografia consta na legislatura 1993-1996)

Amélio Cipriani

Antônio Carlos de Azevedo

César Leal

Darci da Cruz

Dorival Mignoni (Biografia consta na legislatura 1993-1996)

Ivo Valdemiro Mendes

Luiz Carlos da Rocha (Biografia consta na legislatura 1989-1992)

Manoel Airton Pereira

Odir da Silva

Osvaldino dos Passos

Vilmar Astrogildo Tuta de Souza (Biografia consta na legislatura 1993-1996)

 

Características da Legislatura:

Eleição: 03/10/1996

Posse: 01/01/1997

Composição de vereadores nesta Legislatura: 13

Presidente: Dorival Mignoni 1997-1998

Amélio Cipriani 1999-2000

Suplentes: Mauri Jovelino Albano da Silva

 Silas Manoel Mendes


 

Amélio Cipriani

Legislatura 1997-2000

 

Nasceu no dia 20/10/48, em Presidente Getúlio, filho de Agostino Cipriani e Amábile Cipriani. Filho de agricultores, trabalhou na roça. Aos 07 anos de idade mudou-se com os pais e os quatro irmãos para a cidade de Ituporanga/SC, onde na localidade de Rio Batalha trabalhou com madeira e estudou até a 4ª série primária. Aos nove anos de idade, foi morar no centro da cidade de Ituporanga, para que pudesse continuar seus estudos. Mais tarde mudou-se para as cidades de Rio do Sul e Blumenau, onde no colégio interno (Colégio Santo Antônio) terminou o segundo grau. Em Florianópolis formou-se em matemática na UFSC e em Administração na ESAG, graças a muito esforço e luta, tendo muitas dificuldades para concluir seus estudos. Em Biguaçu, Amélio Cipriani lecionou na Escola Básica Professor José Brasilício e Colégio Maria da Glória Veríssimo de Farias. No início dos anos 70 começou a trabalhar na Prefeitura deste município, iniciando também sua vida pública, onde desempenhou cargos de importância dentro do executivo municipal, tais como Secretário de Administração, de Finanças, chefe de Gabinete, entre outros, época em que eram prefeitos os Senhores: João Brasil de Azevedo, Arlindo Correa e José Eduardo da Costa (Zézinho). Em 1996 elegeu-se vereador, tendo assumido a Presidência da Câmara Municipal no período de 1999 a 2000. Cipriani, como era mais conhecido, voltou a morar na cidade de Ituporanga, mas alguns anos depois retornou a Biguaçu para se tratar de um câncer. Depois de seis anos de luta contra o câncer, Amélio Cipriani, aos 27/06/2013 faleceu no Hospital de Caridade, deixando um legado de luta, honestidade e vontade de viver, méritos que muito honram seus filhos: Jean, Ricardo, Giselle, Daniel, Michele, Ana Paula, familiares e amigos.


 

Antônio Carlos de Azevedo

Legislatura 1997-2000

 

O “Tuquinha” é filho do saudoso João Brasil de Azevedo e Vilma Antônio de Azevedo. É o terceiro de quatro irmãos, Henrique, Hermes e Leandro. Casou-se com Geruza Mara Ternes Traebert de Azevedo, com quem tem 03 filhas: Bruna, Eduarda e Luiza. A influência política veio do pai, “seu Joãozinho”, que foi duas vezes vice-prefeito e também prefeito de Biguaçu. Formado em biblioteconomia pela UFSC, frequentou a primeira turma de Especialização em Políticas Públicas da UDESC. Com o incentivo e apoio da família e amigos, elegeu-se vereador em 1996, cumprindo o mandato Legislativo entre 1997 e 2000. Incentivou a criação da União das Associações de Moradores dos Bairros de Biguaçu, lutou pela criação do Distrito do “Bom Viver”. Criou o Seminário “O lixo é um luxo”, já preocupado com as questões ambientais. Apoiou a criação dos Grêmios Estudantis nas escolas municipais e criou o “Projeto de Capacitação para a Cidadania”. Na Câmara foi 1º secretário, presidente da Comissão de Justiça e Redação, além de Vice-Presidente. Representou a Casa junto aos Conselhos Municipais da Educação e Saúde. Entre os Projetos de Lei apresentados destacam-se: 18/97 – Campanha Educativa no Combate às Drogas; 16/98 - Torna Obrigatório o Ensino da Língua Espanhola na Rede Municipal e 18/98 – Declara de Utilidade Pública a Academia de Letras de Biguaçu, além de outros com importante repercussão social no município. Participou sem ônus ao município, à convite da fundação alemã Friedrich Naumann, do seminário dirigido às jovens lideranças dos países do terceiro mundo, “ Introdução da Sociedade Civil à Democracia”, na cidade de Leipizig. Ocupou cargos de diretoria no Governo do Estado, de Diretor e Secretário Municipal e nunca deixou de participar das questões sociais em Biguaçu de forma voluntária.


 

César Leal

Legislatura 1997-2000

 

 

Nasceu no dia 03/07/ 1962, em Tijucas, Santa Catarina, filho de José Antônio Leal Neto e Valmita Maria Leal. Casou-se com Sandra Rosa Leal, com quem teve 03 filhos: Willian Leal, Glauciane Leal e Indionara Rosa Leal. Residente do Município de Biguaçu, no bairro Jardim Janaína, sempre atuou como cidadão participativo em prol da comunidade. Vindo de uma família simples, aos seus onze anos, sofreu a perda do pai, e como filho homem assumiu a responsabilidade de trabalhar e ajudar sua mãe no sustento dos seus irmãos, deixando assim, a vida escolar. Ao longo dos anos tornou-se conhecido no bairro pela sua solidariedade ao próximo. Com o incentivo da família e amigos, ingressou na carreira política, tendo como objetivo contribuir no desenvolvimento da sua comunidade. Elegeu-se vereador do Município de Biguaçu no ano de 1996, onde participou assiduamente dos seguintes projetos: Nomeação e iluminação de ruas; requerimentos para melhorias do bairro; denominação de ruas como José Antônio Leal Neto, Hélio Carrerão e outros; solicitação de Rede de Iluminação Pública e por fim, sendo Relator de CPI e vereador atuante nos interesses da comunidade.


 

Darci da Cruz

Legislatura 1997-2000 / 2001-2004

 

 

Natural de Erexim RS veio para Biguaçu em 1982 e se instalou no Jardim Carandaí no qual iniciou sua atividade comercial no ramo de venda de material de construção. Casou-se com Ivone Spricigo da Cruz, tendo 04 filhos e 08 netos. Devido ao seu carisma e vontade de ajudar ao próximo, ingressou na carreira política no ano de 1996 concorrendo e elegendo-se vereador com 508 votos pelo partido PMDB. Na sua história política registra-se o apoio nos segmentos assistenciais tais como: viabilização de bolsas de estudo universitário, de fundação e manutenção da primeira creche comunitária de Biguaçu. Com doação de terreno e construção do centro comunitário, o primeiro de Biguaçu. Fomentou a organização das entidades comunitárias com ênfase e importantes serviços prestados a comunidade, com disponibilidade de serviços de educação médica e odontológica, inclusive ambulância. Darci também se dedicou a organização dos grupos da terceira idade.


 

Ivo Valdemiro Mendes

Legislatura 1997-2000

 

 

Nasceu na localidade de Três Riachos, em Biguaçu/SC, em 26/01/1955. Filho de Palmira Domingos Mendes e Valdemiro José Mendes.  Casou com Marilda Elza Mendes, tendo três filhos:  Chirley, Cheilla e Ângelo. Reside na rua Artur João de Souza nº 81, no Jardim Anápolis, bairro Prado, neste município de Biguaçu. Freqüentou o Ensino Fundamental em Três Riachos, na Escola Municipal Celina Dias da Cunha. Iniciou sua vida profissional como comerciante. Posteriormente, dedicou-se ao ramo de colocação de  gesso, deixando o comércio.Atuante na vida comunitária da região dos bairros Prado, Saudade e Três Riachos, assumiu a Direção da Associação dos Moradores do Jardim Anápolis, sendo inclusive Presidente; foi da Diretoria e Presidente da Sociedade Esportiva Pradense, bem como, Técnico e treinador, sendo campeão da LICOB em 1999; como Católico, foi participante ativo do Grupo de Casais na Igreja Sant’Ana, no Prado.Militante do Partido da Frente Liberal – PFL, foi candidato a Vereador por duas ocasiões: Em 1992, deixou de ser eleito por um voto, alcançando 316 votos. Nesta eleição, seus amigos e muitos familiares votaram no “Ivo” e não no seu número e tinha outro candidato – Ivo Dellagnelo, que registrou-se antes dele, ficando com os votos que apenas dizia “Ivo”. Como 1º suplente, assumiu a vereança por ocasião do falecimento prematuro do Vereador Bertoldo J. da Costa; Em 1996, Ivo obteve 807 votos, sendo o 2º candidato mais votado, sendo diplomado Vereador para a 13ª Legislatura. Em 2000, indicado pelo PFL, concorreu como candidato a Vice-Prefeito de Biguaçu, na chapa encabeçada pelo candidato a Prefeito José Castelo Deschamps, não sendo eleito. A partir de então, encerrou sua atuação política.


 

Manoel Airton Pereira

Legislatura 1997-2000 / 2001-2004 / 2005-2008 / 2009-2012 / 2013-2016

 

 

Filho de pais biguaçuenses, Airton José Pereira e Maria Ana do Amaral Pereira, Manoel é o terceiro filho de uma família de 09 irmãos. Também é natural de Biguaçu, nasceu em 26/11/1959, na Comunidade do Morro da Bina, atualmente Mar das Pedras. É casado com Simone Mari de Souza, tem 03 filhos: Luan, Saimon e Manoel Junior. Estudou sempre em escolas públicas, cursou o primário na Escola de Ensino Básico Alexandre Sérgio Godinho, o ginásio na Escola de Ensino Básico Professor José Brasilício, técnico em administração no Colégio Estadual Maria da Glória Veríssimo de Faria e curso superior incompleto na Univali. É funcionário concursado da Prefeitura Municipal de Biguaçu há 30 anos. Em sua vida pública foi por diversas vezes Presidente de Entidades do Município: Associação Esportiva Biguá, Associação do Saveiro, ASMUB- Associação dos Servidores Municipais de Biguaçu e Sindicato dos Trabalhadores Municipais de Biguaçu. É vereador desde 1997: 1º mandato 1997/2000, ocupando a primeira secretária, em 1999 licenciou-se da vereança para ocupar o cargo de Secretário Municipal de Saúde, onde ficou até março de 2000, sendo reeleito em 2000 para o quadriênio 2000/2004, exercendo o cargo de vice-presidente da câmara de 2001 a 2002, em 2004 se reelegeu para o quadriênio 2005/2008, onde ocupou o cargo de presidente da câmara durante os 04 anos, em 2008 se reelegeu para o mandato 2009/2012, em 2012 se reelegendo para o mandato 2012/2016, exercendo o cargo de presidente da câmara de 2013 a 2014, sendo vereador que mais vezes foi o Presidente da Câmara até hoje. Está é uma breve biografia de Manoel Airton Pereira (Bilico).


 

Odir da Silva

Legislatura 1997-2000

 

 

Nasceu em Águas Mornas/SC, no dia 28/12/1953, filho de Lindolfo João Cipriano da Silva e Clementina Joaquina Vieira, seu pai lavrador. Com dois anos, mudou-se para Biguaçu/SC, no bairro Vendaval, onde trabalhou com seu pai até 19 anos na lavoura. Com 20 anos, fez o Concurso Público Federal (INAMPS), foi aprovado e executou a função de agente administrativo por 15 anos. Após, exerceu carreira na Polícia Federal por 25 anos, tem o segundo grau completo com o magistério no Colégio Maria da Glória, em Biguaçu. Aos 28 anos casou com Nilza Maria Costa da Silva, quando foi morar na localidade de Santa Catarina, Biguaçu/SC. Foi vereador eleito para o período de 1997/2000, encaminhou requerimentos ao Executivo solicitando a denominação de ruas: Maria Firmina da Costa, Elisbão M. Cardoso, Manoel Lopes, Silvestre Manoel Ferreira, como também o projeto de lei para calçamento no morro do Cemitério Santa Catarina, sendo todos aprovados e feitos. Foi um dos fundadores do campus do AMESC-FC, e autor da extensão da instalação de água da Casan da localidade de Santa Catarina até a (Russa) Santa Cruz. Enquanto vereador representou os bairros de Santa Catarina e Santa Cruz.


 

Osvaldino dos Passos

Legislatura 1997-2000

 

 

Osvaldino dos Passos nasceu em 30 de março de 1915, no município de Florianópolis, radicando-se em Biguaçu em 1982. Casado há 52 anos com Germana Peroni dos Passos com quem teve 4 filho: Edson Boaventura dos Passos, Edmilson Osvaldino dos Passos, Ednete Maria dos Passos e Edmilson dos Passos, que lhe deram 4 netos. Foi jogador de Futebol, sagrando-se campeão estadual pelo Inter de Lages em 1965. Teve passagens pelo Hercílio Luz (Tubarão), Figueirense, entre outros. É motorista de ônibus aposentado. Com forte atuação em sua comunidade, começou a mitância política ao filiar-se ao PMDB, quando foi eleito vereador  na legislatura de 19797-2000, lutou sempre por melhorias no sistema de transporte público na cidade como um todo e em particular na comunidade da Praia João Rosa.


 

Legislatura 2001-2004

 

Aclici João de Campos (Biografia consta na legislatura 1983-1988)

Darci da Cruz (Biografia consta na legislatura 1997-2000)

Durval Borba Neto

Edevaldo Ernesto Ferreira (Biografia consta na legislatura 1989-1992)

Itanir César Melo

Ivo Delagnelo (Biografia consta na legislatura 1977-1983)

João Domingos Zimmermann

Luiz Carlos da Rocha (Biografia consta na legislatura 1989-1992)

Manoel Airton Pereira (Biografia consta na legislatura 1997-2000)

Maria Bernadete Salazar

Nacet Tomaz de Souza

Pedro Joaquim Cardoso (Biografia consta na legislatura 1983-1988)

Pedro Lucino da Silva

Ramon Wollinger

Silas Manoel Mendes (Biografia consta na legislatura 1983-1988)

 

Características da Legislatura:

Eleição: 01/10/2000

Posse: 01/01/2001

Tipo de eleição:

Composição de vereadores nesta Legislatura: 15

Presidente: Durval Borba Neto 2001

Ramon Wollinger 2001-2002

Itanir César Melo 2003-2004

Suplentes:  Manoel José de Andrade

Dalton Dário Sodré

 

 

Durval Borba Neto

Legislatura 2001-2004

 

 

Popular Netinho (in memorian), nasceu no dia 01/10/1954, em Biguaçu. Filho de Dalma Felicidade de Faria Borba e Romualdo Durval Borba (Marreco). Netinho cursou o ensino médio na Escola Maria da Glória Veríssimo de Faria e ingressou no curso de Educação Física da Escola Superior de Educação Física e Desportos de Joinville, onde teve sua formação em 1974. Mudou-se para Jaraguá do Sul e começou a treinar a equipe de ginástica olímpica. Netinho morou por 18 anos em Jaraguá do Sul, onde conheceu Maria Elisabeth Kleine Borba, com quem se casou e teve 03 filhos: Danielle, Débora e Douglas (vereador de Biguaçu no mandato 2013/2016). No seu retorno a Biguaçu casou-se com a advogada Eunice Anisete de Souza Trajano. Foi convidado a ser Diretor da Escola Maria da Glória Veríssimo de Faria, cargo que exerceu de 1996 até 2000. Outra paixão de Netinho Borba era a música. Em 1977, gravou e lançou seu primeiro CD, intitulado “O melhor da seresta”, que teve como palco principal o Clube 17 de Maio em Biguaçu. Candidatou-se a vereador pela primeira vez no ano 2000. Foi eleito com 633 votos e, posteriormente, foi eleito também presidente da Câmara Municipal no dia 01/01/2001. Netinho Borba faleceu no dia 06/07/2001, com 46 anos de idade, vitima de infarto fulminante.


 

Itanir César Melo

Legislatura 2001-2004 / 2005-2008

 

 

 

Nasceu no dia 11/09/1955, na cidade de Biguaçu, filho de Valmor João de Melo e de Dulcemar Maria de Melo, é casado com a professora Maria Inez Zimmermann Melo, tem 03 filhos: Diego, Thiago e Douglas, e uma neta, a Lara. Itanir foi funcionário do Instituto de Previdência Social – IPREV, no qual trabalhou 39 anos, hoje aposentado. Nesta instituição ocupou diversos cargos, como: chefe de serviço, chefe de divisão, inspetor da previdência, gerente, diretor e, por último, coordenador de previdência da grande Florianópolis. Foi também presidente da AFIPESC (Associação dos Servidores do IPESC) e, dentre alguns trabalhos realizados, podemos destacar a construção da nova sede balneária, na praia dos Ingleses. Com sua política social comunitária no bairro Vendaval, Itanir chegou a presidente da UAMBB (União das Associações de Bairros de Biguaçu). Comprometido com as causas sociais do município, iniciou sua carreira política partidária e, no ano de 2000, candidatando-se a vereador por Biguaçu, obteve o maior número de votos daquela eleição. Foi presidente da Câmara dos Vereadores do Município no biênio 2003/2004. Após seu segundo mandato, Itanir encerrou sua carreira política partidária no final de 2008, sem, no entanto, deixar de trabalhar por sua cidade, seja no campo social ou humano. Hoje, com 59 anos, aposentado, dedica-se à família, à convivência com os amigos e à realização de seu hobby preferido, a pesca, não se distanciando, entretanto, em nenhum momento, da ajuda humanitária.


 

João Domingos Zimmermann

Legislatura 2001-2004 / 2005-2008 / 2013-2016

 

 

 

Popularmente conhecido como Nino, nasceu no dia 01/01/1960, em Biguaçu. Casado há 35 anos com Rosa Maria Henrique Zimmermann, pai de 03 filhos e avô de 04 netos. É Policial Militar aposentado, após 22 anos de serviços prestados á sociedade. Iniciou sua vida política em 1996, quando ao candidatar-se pela primeira vez para o cargo de vereador, conquistou 296 votos, tornando-se o primeiro suplente do PMDB (Partido do Movimento Democrático Brasileiro). No ano de 2000, com 672 votos, sendo o terceiro mais votado do partido, ingressou na Câmara pela primeira vez. Durante esse período, assumiu a Secretaria de Obras de 2001/2003. Em 2004, foi o vereador mais votado do PMDB, conquistando 1197 votos. Entre os anos de 2007/2008, esteve à frente da Secretaria de Planejamento, retomando o Plano Diretor, colocando a comunidade outra vez à frente das decisões do governo municipal. Em 2008, mesmo sendo o sétimo candidato a vereador mais votado, com 1144 votos, acabou ficando com a 1ª suplência por falta de coeficiente eleitoral. Neste período, assumiu a gerência da Secretaria de Cultura, Esporte e Turismo da Grande Florianópolis, durante 02 anos (2009/2010). Entre agosto de 2011 e março de 2012, assumiu a função de consultor técnico de articulação nacional no Governo do Estado. Ao disputar sua quarta eleição, no ano de 2012, foi eleito o sétimo vereador mais votado do município e segundo do partido, com 946 votos, assumindo seu terceiro mandato. Assim como na vida, Nino fez questão de trabalhar politicamente tendo como único objetivo o bem comum. As incansáveis horas de trabalho dedicadas buscando melhorias para a população em todas as áreas refletem nos prêmios conquistados como vereador destaque por 03 anos e também na garra com que é visto por seus eleitores, sendo um incansável lutador pelo desenvolvimento do município e do povo biguaçuense.


 

Maria Bernadete Salazar

Legislatura 2001-2004

 

 

 

Veio de uma família humilde e numerosa de 11 irmãos, nasceu na praia João Rosa, em Biguaçu, no dia 15/05/1956. Filha do pescador Nelson José Sodré e da dona de casa Alaíde Benta Sodré. Casada há 41 anos com Ailton Laudelino Salazar, com quem teve 03 filhos: Alessandra, Patrícia e Thiago (em memória), e 02 netos: Lucas e João Vitor. Seu primeiro emprego foi, aos 17 anos, na fábrica de conservas de peixe Wildner S/A. Neste período conciliou trabalho e estudo formando-se no ginásio. Após perder seu filho Thiago, em 1985, Tia Bia, como é conhecida, passou a dedicar-se em trabalhos sociais organizando eventos como: festa de natal, campanha de agasalho, sopa comunitária, festa do dia das crianças e bingos beneficentes. Em 1996, fundou a associação dos moradores da Praia João Rosa (AMPRA). Em 2000, após presidir a AMPRA, Bia, foi convidada a entrar no cenário político, se elegendo vereadora pelo PMDB. Em 2002, fundou o Centro Educacional Infantil Comunitário Anjinho da Guarda, onde se dispõe como voluntária há 13 anos. Em 2004, foi 3ª Suplente de vereador – PMDB, em 2008, foi 2ª Suplente de vereador – PMDB e em 2012 foi 1ª Suplente de verador – PP. De 2013 a 2014 ocupou o cargo no Executivo Municipal como Secretária do Orçamento Participativo. Desde março de 2015, sendo 1ª Suplente do Partido Progressista, assume o cargo de vereadora na Câmara de Vereadores de Biguaçu.


 

Nacet Tomaz de Souza

Legislatura 2001-2004 / 2009-2012

 

 

 

Nasceu em Sorocaba do Sul no dia 15/11/1946, brasileiro, casado há 48 anos com Maria da Graça de Souza, ela graduada em Teologia, com quem teve 05 filhos. Destes filhos foram gerados 11 netos e 02 bisnetos. Em 1975, formou-se em Teologia pelo Instituto Teológico Quadrangular, é Pastor e Fundador da Igreja do Evangelho Quadrangular em Biguaçu há 30 anos. Iniciou sua carreira Política em 2001. Foi autor de diversos Projetos de Leis e Reivindicações. Sua vida pública sempre foi marcada pela seriedade, credibilidade e temor a Deus. Pastor Nacet sente-se feliz ao constatar que realmente teve utilidade e abençoadora no parlamento onde atuou. Um cidadão que ama Biguaçu e seus moradores.


 

Pedro Lucino da Silva

Legislatura 2001-2004

 

 

Nasceu em 13/05/65, na comunidade São Matheus (Três Riachos) em Biguaçu, filho de Lucino Pedro e Fermina Nau da Silva. Foi um dos primeiros alunos do Jardim de infância Chapeuzinho Vermelho fundado por Conego Rodolpho Machado. Gratas recordações deste período lúdico e formativo. Ensino Fundamental I, na escola Emérita Duarte Silva e Souza, bairro Fundos. Ensino fundamental II no Colégio José Brasilício. Ensino Médio no Seminário Menor Metropolitano Azambuja em Brusque. Fez Filosofia na FEBE em Brusque. Teologia no ITESC na UFSC. Pós Graduado em Gestão escolar. Músico e Maestro do Coral Acordes da Vida por mais de 15 anos na comunidade dos Fundos, capela São Sebastião. Trabalhou na Cequipel como almoxarife. Professor de Filosofia, História e Ensino Religioso há 22 anos exercendo esta atividade na escola Emérita D. Silva e Souza; Colégio Nova Geração; Incentivo. Treze anos professor no Colégio Catarinense em Florianópolis. É Assessor Pedagógico da Região Nordeste do Centro de Filosofia Educação para o Pensar – Editora Sophos. Casou com Ana Lucia Bohm, pai de duas filhas Ane Karoline e Milena da Silva. Vereador pelo PT na gestão 2001/2004, atuou com projetos pertinentes a realidade do município causa indígena etc... e requerimentos encaminhados até mesmo a Brasília sugerindo ciclovias na BR 101 em todo perímetro até Florianópolis. Fiscalizou e motivou todas as repartições públicas do Município a exercerem suas funções dentro da lei e dos critérios éticos de cada Secretaria. Hoje pode dizer que exerceu esta função com senso de justiça baseado nos valores que buscam dar dignidade a todo cidadão Biguaçuense.  Jamais utilizou deste meio para tirar vantagens pessoais. Nunca deixara de ser político pois cada pequena ação é um ato político, tem orgulho de ter exercido a função pública sem jamais se corromper.


 

Ramon Wollinger

Legislatura 2001-2004 / 2005-2008

 

 

Natural de Biguaçu, Ramon Wollinger nasceu no dia 10/02/1977. Filho de Izolete Besen Wollinger e Walter Wollinger, é casado com Daiana Pauli Wollinger, com quem tem dois filhos, Bernardo e Nicolas. É Administrador, Pós-Graduado em Gestão de Segurança Pública e Funcionário Público Estadual da Secretaria de Estado de Justiça e Cidadania. Atuação Política: Candidatou-se vereador pela primeira vez nas eleições de 2000, elegendo-se pelo Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB) com 473 votos. Tomou posse como vereador em 2001 com apenas 23 anos, tornando-se o mais jovem a assumir uma cadeira no Legislativo de Biguaçu. Elegeu-se Presidente da Câmara em julho de 2001, com mandato até dezembro de 2002. Nas eleições de 2004 obteve 888 votos para vereador, eleito para o segundo mandato (2005-2008). Ocupou também os cargos de vice-presidente, primeiro secretário e segundo secretário. Também apresentou inúmeros projetos em benefício da comunidade. Criou o Projeto que viraria a Lei da Licença Maternidade de 180 dias para as Funcionárias Públicas Municipais de Biguaçu e a Medalha “Dilza Palmira de Souza Sabino”, homenagem para mulheres que se destacaram em Biguaçu. Poder Executivo: Pela sua boa atuação frente à Câmara Municipal, foi convidado a compor como vice-prefeito na chapa liderada por José Castelo Deschamps nas eleições de 2008. Com 17.526 votos, Castelo e Ramon se elegeram para o mandato 2009/2012. Mantendo a mesma chapa, Castelo e Ramon reelegeram-se nas eleições de 2012 com 18.064 votos. Em 11 de dezembro de 2014, Ramon Wollinger assumiu como Prefeito Municipal de Biguaçu após renúncia de José Castelo Deschamps, que atendeu a ordens médicas devido a problemas cardíacos e renunciou o cargo.


 

Legislatura 2005-2008

 

Aclici João de Campos (Biografia consta na legislatura 1983-1988)

Ademir Corrêa (Biografia consta na legislatura 1993-1996)

Dalton Dário Sodré

Itanir César Melo (Biografia consta na legislatura 2001-2004)

João Domingos Zimmermann (Biografia consta na legislatura 2001-2004)

Luiz Carlos da Rocha (Biografia consta na legislatura 1989-1992)

Manoel Airton Pereira (Biografia consta na legislatura 1997-2000)

Manoel José de Andrade

Ramon Wollinger (Biografia consta na legislatura 2001-2004)

Salete Orlandina Cardoso

 

Características da Legislatura:

Eleição: 03/10/2004

Posse: 01/01/2005

Composição de vereadores nesta Legislatura:10

Presidente: Manoel Airton Pereira 2005-2008

Suplentes: Élson João da silva

 Sebastião Lourival Novack

 Dorival Mignoni

 

 

Dalton Dário Sodré

Legislatura 2005-2008

 

 

Nasceu no dia 15/11/1959, na praia do tamanco, hoje conhecida como Praia João Rosa, em Biguaçu, filho de Dário Sodré e Santina Docilícia Sodré. Casou-se com Marita Schlemper, com quem teve 02 filhos: Dalton Dário Sodré Júnior e Matheus Sodré. Foi vereador pela primeira vez no período de setembro de 2001 a março de 2003, assumindo na condição de primeiro suplente do partido do PMDB. Na legislatura subsequente, de 2005 a 2008, assumiu como vereador eleito, também pelo partido do PMDB. Sendo neste mandato o primeiro secretário da mesa, presidente da comissão de justiça e redação, líder da bancada do partido e representando também o Executivo Municipal na Câmara.


 

Manoel José de Andrade

Legislatura 2005-2008 / 2009-2012 / 2013-2016

 

 

Popularmente conhecido como Maneca, nasceu no dia 27/04/1948, no bairro Três Riachos, em Biguaçu/SC, filho de Domitília Maria de Andrade e José João de Andrade (in memoriam). Na sua adolescência trabalhou na lavoura junto com seus pais e irmãos. Aos 18 anos (1967/1971) serviu a Base Aérea Brasileira. No ano de 1968, casou-se com a professora Edy Pereira de Andrade e dessa união teve 03 filhas Adriana, Andréia e Jaqueline, e 04 netos: Juliany, Matheus, Amábille e Eduardo. Atualmente reside no bairro Bom Viver, em Biguaçu/SC. Foi Bancário, muito querido por todos e a pedido de amigos candidatou-se, no ano de 2000, a vereador do município de Biguaçu, terra onde nasceu e vive até os dias atuais. Obteve uma expressiva votação de 487 votos de confiança ficando como 1º suplente do partido PMDB. Após seis meses, assumiu uma cadeira na Câmara Municipal de Biguaçu, desde então trabalha incansavelmente pela qualidade de vida dos munícipes. No ano de 2004 foi à reeleição e obteve 941 votos, em 2008 foi reeleito com 1276 votos e na última eleição (2012) foi reeleito com 887 votos. Atualmente está em seu quarto mandato como Vereador deste Município. Muitos projetos, estudos e requerimentos foram feitos para melhorar cada vez mais a vida das pessoas, pensando sempre na educação, saúde, segurança, obras e saneamento básico.


 

Salete Orlandina Cardoso

Legislatura  2005-2008 / 2009-2012 / 2013-2016

 

Biguaçuense, filha de Joaquim João e Orlandina Ana Cardoso. Foi destaque nacional no esporte, campeã e recordista estadual em atletismo; bicampeã brasileira da Olimpíada SESI; vice-campeã nos Jogos Abertos Brasileiro na modalidade de Judô. Pedagoga de formação foi coordenadora de eventos sociais e esportivos nas empresas INPLAC e PLASC. Foi professora da rede municipal e estadual e Conselheira Tutelar. Presidiu o Conselho Municipal de Esportes. Foi uma das idealizadoras da 1ª Gincana Cidade de Biguaçu. Desde os anos 80, atua como voluntária: Programa Olha o Peixe, no apoio técnico as equipes de atletismo, na organização dos Jogos de Verão e JEBIG, na presidência da Associação de Moradores do Jardim São Miguel, na APAE de Biguaçu, onde desenvolve políticas de inclusão social. Na política, elegeu-se vereadora em 2005, foi à primeira mulher reeleita na história de Biguaçu para o mandato 2009/2012. Considerada por seis anos consecutivos a vereadora mais atuante. Candidatou-se a deputada estadual em 2010 e 2014, ocupou o cargo de Secretária Municipal da Cultura, Esporte, Turismo e Lazer. Propõe e apoia projetos que visam criar emprego e renda, planejamento familiar, criação de vagas para a Educação Infantil, macro e micro drenagem para sanar os problemas de cheias nas regiões do Rio Carolina, Carandaí e Jardim São Miguel, luta por área institucional para a APAE, Bolsa Atleta-Amador, construções de Ginásios de Esportes, construção do Prédio da Câmara de Vereadores. É autora do livro “Esporte é Massa”, um registro dos talentos esportivos de Biguaçu. Exerce o terceiro mandato de vereadora, sendo em 2014, eleita presidente da Câmara Municipal de Biguaçu, a primeira mulher presidente nos 182 anos de história do nosso Legislativo.


 

Legislatura 2009-2012

 

André Clementino da Silva

José Braz da Silveira (Biografia consta na legislatura 1989-1992)

Lédio Gerhardt

Luiz Roberto Feubak

Manoel Airton Pereira (Biografia consta na legislatura 1997-2000)

Manoel José de Andrade (Biografia consta na legislatura 2005-2008)

Nacet Tomaz de Souza (Biografia consta na legislatura 2001-2004)

Salete Orlandina Cardoso (Biografia consta na legislatura 2005-2008)

Vilmar Astrogildo Tuta de Souza (Biografia consta na legislatura 1993-1996)

Vilson Norberto Alves

 

Características da Legislatura:

Eleição: 05/10/2008

Posse: 01/01/2009

Composição de vereadores nesta Legislatura: 10

Presidente: Luiz Roberto Feubak 2009-2012

Suplentes:  Ednei Muller Coelho

Douglas Borba

Ademir Corrêa

Marconi Kirch

José Pedro Soares

João Domingos Zimermmann

Marco Aurélio Dias

Jonas de Jesus

Aclici João de campos

Arlindo Kleber Corrêa

 

 

André Clementino da Silva

Legislatura 2009-2012 / 2013-2016

 

 

Natural de Tijuquinhas, região Norte de Biguaçu, André Clementino da Silva nasceu em 29 de outubro de 1975. Filho de Alcides Clementino da Silva (in memoriam) e Divalma Simas da Silva é casado com Aline Moraes Pereira e pai de Maria Clara Moraes da Silva. Sua carreira política teve inicio em 1995, quando se filiou ao PMDB (Partido do Movimento Democrático Brasileiro). A militância o levou à presidência do Conselho do Orçamento Participativo (OP), no qual atuou desde a sua implantação, em 2001. Desenvolveu trabalhos durante oito anos, em todas as comunidades de Biguaçu junto ao Orçamento Participativo onde adquiriu experiência na administração pública e conheceu de perto as dificuldades encontradas pelos munícipes e poder público. No primeiro mandato como vereador (2009-2012), André atuou de forma presente no fortalecimento das Associações Comunitárias e nos projetos sociais. Através de indicativos e requerimentos, o vereador fiscalizou de perto os atos que poderiam ser considerados lesivos ao interesse público e coletivo. Saúde, transporte público, segurança, educação, planejamento urbano e o fortalecimento do Orçamento Participativo foram algumas das bandeiras levantadas e defendidas por André na Câmara Municipal. A proximidade e a atenção com os munícipes sempre foram o diferencial de André. O reconhecimento ao seu trabalho levou-o a conquistar a reeleição em 2012, como o 1º vereador mais votado do PMDB entre os concorrentes daquele ano, com 1.543 votos. No ano de 2013 André assumiu a Presidência do PMDB Municipal com mandato até 2015


 

Lédio Gerhardt

Legislatura 2009-2012 / 2013-2016

 

 

Nasceu em 30/06/1965 na cidade de São Lourenço do Oeste/SC. Filho de Manoel Gerhardt e Eva Josefino Gerhardt. Casado com Loureni Batista Gehardt, com quem tem três filhos, Leidiane, Leonay e Letícia. Nasceu em uma família composta por 22 irmãos, bastante humilde que sobrevivia da agricultura. Quando pequeno sonhava em ser político, porém não sabia o que isso realmente significava. Aos 17 anos saiu do interior catarinense e foi para Francisco Beltrão/PR trabalhar como estofador. Aos 18 anos, seus pais mudaram-se para Biguaçu/SC, passados seis meses veio também para o município, onde começou a trabalhar na construção civil como pedreiro, carpinteiro e mestre de obras, respectivamente. Mais tarde, tornou-se proprietário de uma borracharia e uma construtora, contudo, nunca deixou de estar envolvido na luta pelos interesses das comunidades biguaçuenses. Foi presidente da Associação de Moradores do Jardim Tibúrcio, presidente da Associação de Assistência Social Dorcas, presidente da APP da Escola Básica Municipal Professor Donato Alípio de Campos, presidente da APP do CEI – Dona Virgínia, presidente do Conselho de Alimentação das Escolas. Fez o curso de teologia, pastorou igrejas, faz trabalho de aconselhamento à casais e famílias, e, palestra em igrejas dentro e fora do estado catarinense. Iniciou na carreira política em 1996. Em 2008 eleito vereador de Biguaçu/SC, com 1.012 votos, foi convidado a ser secretário de obras do município. No ano de 2012 foi reeleito, tendo a oportunidade de ser por 02 anos secretário da mesa da Casa Legislativa Municipal. Em 2015 assumiu a Secretaria do Orçamento Participativo sendo convidado a ser um dos coordenadores do Prefeitura com Você, que é um projeto que aproxima a prefeitura dos bairros.


 

Luiz Roberto Feubak

Legislatura 2009-2012

 

 

Nasceu no dia 8/05/1946, em Florianópolis. O popular Luizão casou-se com Ana Maria Locks Feubak e mudou-se para Biguaçu em 1968. Com ela teve 03 filhos homens: Luiz Roberto Feubak Junior, Fábio Feubak e Jackson Feubak. Foi gerente nas empresas Muller & Filhos e Distribuidora Wilbec; e proprietário da Luplast e Comercial Hidrel. Na vida política candidatou-se a vereador nas eleições de 2008 e elegeu-se com 983 votos. Tomou posse no dia 1º de janeiro de 2009 e foi eleito entre os vereadores como presidente da Câmara Municipal de Biguaçu para dois anos de gestão. Luizão foi reeleito presidente por unanimidade e conduziu os trabalhos legislativos durante os quatro anos de mandato, de 2009 a 2012. Exerceu o cargo de prefeito durante 15 dias, na ausência dos titulares. Destaca-se da sua passagem pela presidência da Câmara a implantação dos projetos Câmara Mirim, contabilidade diária, transmissão das sessões ordinárias ao vivo através da internet e retransmissão das mesmas através da rádio comunitária. Também foi na gestão de Luizão Feubak que foi dado início à construção da sede própria do Legislativo Municipal de Biguaçu. A estrutura de seis andares entregue ao final da sua gestão corresponde a 40% da obra.


 

Vilson Norberto Alves

Legislatura 2009-2012 / 2013-2016

 

 

Nascido 07/07/1957 em Rio das Pedras, Município de Leoberto Leal/SC, filho de Norberto Henrique Alves e Nair Gorges Alves. Casou-se em Leoberto Leal em 1981 com Mirozete Terezinha de Campos Alves, pai de Guilherme de Campos Alves. Adotou o Município de Biguaçu desde 1980, onde reside no Bairro Bom Viver. Vida Acadêmica: 1964/1967 cursou primário na E. M. Vereador Norberto Henrique Alves Rio das Pedras, em Leoberto Leal/SC; 1969/1973 cursou colegial na Escola José Boiteux, Estreito, Florianopolis/SC; 1975 cursou colegial no Colégio Nossa Senhora de Fátima Estreito, Florianopolis/SC; 1976/1978 cursou na Escola Técnica São Marcos, Formando Técnico de Contabilidade; 2000/2003 cursou Administração no Instituto de Ensino Superior da Grande Florianópolis (IES), Formando em Bacharel Administração; 2004/2012 cursou Direito na UNIVALI, Formando em Bacharel Direito. Vida Profissional: é funcionário desde 1972 do Grupo Philippi S/A, sendo que o grupo constituído por uma concessionária de veículos, serraria/madeireira, rede alimentação (Bobs), locação de automóveis e Construtoras, desde 1978 é proprietário do Escritório de Contabilidade Marvil Contabilidade. Vida Política: em 1977 filiou-se ao PDS, sendo membro da executiva do Município de Leoberto Leal até 2004. Em 2004 continuou filiado ao PP, agora fazendo parte da Executiva do Município de Biguaçu. Em 2008, candidatou-se a vereador pela 1ª vez, sendo o vereador mais votado da bancada do Castelo, obtendo 1396 votos, elegendo na época 7 vereadores dos 10 eleitos. Em 2012, foi candidato a reeleição, elegendo-se com 1669 votos, sendo o vereador mais votados dos 15 vereadores eleitos. Segundo o vereador, sua legislatura terá como base os projetos de interesse da própria comunidade, tanto através das associações de moradores, como de cada cidadão biguaçuense.


 

Legislatura 2013-2016

 

André Clementino da Silva (Biografia consta na legislatura 2009-2012)

Ângelo Ramos Vieira

Douglas Borba

Ednei Müller Coelho

Fernando Duarte

João Domingos Zimmermann (Biografia consta na legislatura 2001-2004)

José Braz da Silveira (Biografia consta na legislatura 1989-1992)

Lédio Gerhardt (Biografia consta na legislatura 2009-2012)

Magali Eliane Pereira Prazeres

Manoel Airton Pereira (Biografia consta na legislatura 1997-2000)

Manoel José de Andrade (Biografia consta na legislatura 2005-2008)

Marconi Kirch

Nei Cláudio da Cunha

Salete Orlandina Cardoso (Biografia consta na legislatura 2005-2008)

Vilson Norberto Alves (Biografia consta na legislatura 2009-2012)

 

Características da Legislatura:

Eleição: 07/10/2012

Posse: 01/01/2013

Composição de vereadores nesta Legislatura: 15

Presidente:  Manoel Airton Pereira 2013-2014

Salete Orlandina Cardoso 2015

Suplentes:   Maria Bernadete Salazar

Décio Baixo Alves

José Pedro Soares

Laudemir Clovis Pastovello

Zaida Jerônimo Rabello Petry

Nacet Tomaz de Souza

Antonio Carlos Vieira

Maria Luiza Leardt

Aclici João de Campos

Ademir Corrêa

Adailton Amaro Lino

Uéliton Romeu dos Santos

Luiz Roberto Feubak

Irineu Davi Kuhnen

Márcia de Fátima Borges Badalotti


 

Ângelo Ramos Vieira

Legislatura 2013-2016

 

 

Nasceu no dia 11 de abril de 1965, em Florianópolis. Desde menino, trabalhava duro para ajudar no sustento da família. Quando criança foi engraxate e na adolescência, servente de pedreiro. Na juventude, Ângelo atuou no futebol profissional durante quatro anos, na posição de 4º zagueiro. Jogou nos times da Indil – de Biguaçu e no Ferroviário, em Tubarão, além de ter defendido a camisa de outros times do Estado. Ingressou na carreira militar aos 20 anos. Passou pela Guarda Nacional, Bope, PPT e GRT - na Guarnição de Biguaçu. Ângelo dedicou 30 anos à carreira militar e à proteção dos cidadãos. Aposentou-se em 2012 e sente-se orgulhoso ao olhar para trás, pois sempre exerceu suas funções com excepcional comportamento, atuando em defesa das pessoas, indiferente de credo, cor ou posição social. Uma vez aposentado, a ética e o profissionalismo prezados ao longo da carreira militar levou amigos, vizinhos e familiares a cobrar de Ângelo a representatividade na Câmara de Vereadores. Em 2012 participou de sua primeira campanha eleitoral disputando uma cadeira no Legislativo pelo PSD. Foi eleito com 1.032 votos e durante o mandato manteve o foco na qualidade de vida e bem estar dos cidadãos biguaçuenses.


 

Douglas Borba

Legislatura 2013-2016

 

 

Nasceu no dia 29/05/1985, é casado com Karoline Bunn Borba, filho de Durval Borba Neto, popular Netinho Borba – músico, professor e ex-presidente da Câmara de Vereadores de Biguaçu (in memorian), e Maria Elisabeth Kleine Borba. Cursou a faculdade de Direito na Univali – Universidade do Vale do Itajaí. Durante o curso, entre os anos de 2005 e 2007, presidiu o Centro Acadêmico de Direito da Univali, instituição onde deu inicio a sua vida pública na condição de representante estudantil. Na política, foi Presidente Municipal da Juventude Progressista de Honra da Instituição. No biênio 2013/2014, ocupou a Presidência Estadual do Movimento da Juventude Progressista (JJP). Participou das eleições municipais de 2008, obtendo 783 votos para vereador. Ocupou durante a gestão 2008/2012 o cargo de Secretário Municipal de Cultura, Esporte, Turismo e Lazer de Biguaçu. Em 2012, em sua segunda eleição municipal, conquistou 871 votos, e ocupa uma cadeira na Câmara de Vereadores de Biguaçu para o mandato 2013/2016. No campo profissional, é advogado, com o registro na Ordem dos Advogados do Brasil desde 2011, especializado em Direito Público pela Rede LFG – Florianópolis/SC.


 

Ednei Müller Coelho

Legislatura 2013-2016

 

 

Popularmente conhecido como Patê, nasceu no dia 08/12/1967, é filho de Ivo Tomais Coelho e Soeli Müller Coelho, ambos falecidos, tem 03 irmãos, é neto do ex-prefeito de Biguaçu, Avelino Müller, e sempre teve o espírito de líder, coordenando ações e melhorias, principalmente no bairro Vendaval onde foi criado. Ednei ou Patê, como queiram, é Bacharel em Administração, formado em 2008 pela UNIVALI - Universidade do Vale do Itajaí e está terminando uma Pós-Graduação em Gestão Pública pela UNICESUMAR – Educação a Distância. Como já tinha a política nas veias, no final da década de 80, filiou-se no PP (Partido Progressista), onde participou ativamente nos pleitos políticos da época. Por motivos pessoais e estratégia política decidiu se desfiliar do Partido Progressista em 2007, e em seguida filiar-se no Partido DEM - Democratas, onde foi candidato a vereador em 2008. Nas eleições de 2008, apesar de uma expressiva votação com 646 votos, Patê não se elegeu, mas ficou como 1º Suplente do DEM (Democratas). Em janeiro de 2009, foi nomeado pelo Prefeito Castelo para ser Secretário Municipal do Orçamento Participativo, pasta essa que realizou um grande trabalho até o mês de abril de 2012, quando teve que se afastar para concorrer ás eleições de outubro do mesmo ano. Em outubro de 2012, Patê concorreu novamente ao Pleito Eleitoral e com um total de 726 votos, conseguiu eleger-se vereador pelo partido DEM - Democratas, tendo direito a uma cadeira na Câmara Municipal pela primeira vez. Desde que assumiu, Patê vem se destacando como um vereador atuante e cumpridor das verdadeiras funções e obrigações de um vereador eleito pelo povo, atuando em todas as regiões do município, sempre procurando a solução dos problemas em prol do bem coletivo.


 

Fernando Duarte

Legislatura 2013-2016

 

 

Popularmente conhecido como Pissudo, filho caçula de Manuel Duarte e Lueci Leal Ledoux. Nasceu no dia 10/01/1980, no Bom Viver, em Biguaçu, onde foi criado e permaneceu até os 12 anos, quando se mudou para a Praia João Rosa, onde vive até hoje. Durante a adolescência, foi jogador de futebol das categorias de base do Figueirense FC. Casou-se, aos 18 anos, com Joice Gomes, com quem tem um filho: Victor Gomes Duarte. Nesta época, trabalhava meio período como barbeiro numa barbearia no vão do Mercado Público de Florianópolis e meio período como bancário na CEF, cargo em que permaneceu durante 07 anos. Em 2000 abriu sua própria barbearia no Bom Viver, onde trabalha até hoje. Em 2005 saiu da CEF e começou a trabalhar na Inplac, conciliando seu emprego com o trabalho na barbearia. Jogou em diversos times amadores do município. No Biguá FC foi presidente em 2011. Ingressou na política a pedido de amigos e da comunidade, sendo eleito em sua primeira candidatura. Enquanto esteve na Câmara Municipal de Biguaçu, sempre contribuiu na melhoria da vida dos cidadãos de Biguaçu através da criação de indicações e projetos, além de participar de movimentos sociais. Em 04/2013, representou Biguaçu em Brasília na entrega de um abaixo-assinado nacional propondo que o Governo Federal dedicasse 10% do orçamento bruto da União à saúde pública. Só no município foram recolhidas 3 mil assinaturas. Também costuma desenvolver ações sociais com a ajuda de seus amigos, entregando doces e brinquedos para crianças carentes no Dia das Crianças e Natal. Se afastou da Câmara em 03/2014, quando foi empossado Secretário Municipal de Obras. Desde então, vem realizando junto à sua equipe a manutenção e conservação das vias do município, trabalhos integrados às secretarias de Planejamento e OP, além de outras ações para benefício da população de Biguaçu.


 

Magali Eliane Pereira Prazeres

Legislatura 2013-2016

 

 

Filha do casal Pedro e Eliane, de Três Riachos, nasceu no dia 17/03/1979. É enfermeira graduada pela Univali- Biguaçu, pós graduada em Gestão em Saúde Pública e em Urgência, Emergência e Atendimento Pré-Hospitalar. Magali tem mais de 10 anos de carreira na área da saúde pública e assistência ao idoso, foi coordenadora dos programas Saúde da Mulher e DST/AIDS, atuou como diretora Municipal da Saúde e superintendente na Secretaria Municipal de Saúde. A vereadora é casada com Davi Prazeres e tem 02 filhas: Eduarda e Isabela. Mora há cerca de 20 anos no bairro Fundos. Com o objetivo de lutar por melhorias na rede pública de saúde, Magali, candidatou-se a vereadora pela primeira vez em 2012, quando se elegeu pelo PMDB, com 665 votos. Na Câmara Municipal de Biguaçu representara os interesses e necessidades de cada cidadão de forma incessante, proporcionando melhores condições de vida ao nosso povo. Magali é firme e defende suas idéias com personalidade e seriedade, sempre embasando seu ponto de vista em leis e documentos que atestem seus pareceres. Faz oposição ao governo de forma limpa e neutra, levando sempre em conta um único objetivo, o melhor para o povo de Biguaçu.


 

Marconi Kirch

Legislatura 2013-2016

 

 

Nasceu em 25/02/1964, na cidade de Florianópolis/SC, é filho de Edi Kirch e Maria Eunice Neves Kirch. Marconi é casado com Caroline de Freitas Skowronski Kirch e é pai de 3 filhos, Matheus, Manuela e Gustavo. Completou o ensino fundamental na Escola Modelo Daisy Werner Salles, localizada no bairro Capoeiras, em Florianópolis. No ensino médio formou-se na Escola Técnica Federal de Santa Catarina, localizada no Centro de Florianópolis. No ensino superior formou-se em Engenharia Elétrica pela UFSC. Dentre outros cursos, também realizou o curso de Formação de Dirigentes Públicos, realizado pela Escola de Governo em parceria com a UDESC. Iniciou sua vida política na época estudantil onde filiou-se ao Partido da Frente Liberal – PFL,  hoje Democratas. Vale lembrar que Marconi nunca mudou de partido político, o partido é que mudou sua sigla. Atualmente Marconi exerce a presidência do Democratas em Biguaçu. Em sua vida pública, já ocupou os cargos de Diretor Administrativo Financeiro da Junta Comercial do Estado de Santa Catarina, Secretário de Assistência Social e Vereador no município de Biguaçu. Atualmente, Marconi, é empresário na cidade de Biguaçu e exerce mandato de Vereador eleito para o período de 2013 a 2016.


 

Nei Cláudio da Cunha

Legislatura 2013-2016

 

 

Filho de Antônio Joaquim da Cunha e Maria Simas da Cunha, nasceu em Biguaçu no dia 24/12/1963. Casado com Márcia Regina Silva da Cunha. Formação Acadêmica: Técnico em Administrador de Empresas. Atuação Profissional: Comerciário, Micro Empresário. Atuação política: Presidente do Diretório Municipal do PPS (Partido popular Socialista) desde 2002, membro do diretório Estadual do PPS, suplente de vereador em 2009, vereador pelo PPS 2013 a 2016. Atualmente é Presidente do Diretório Municipal em Biguaçu e membro do Diretório Estadual.